12 janeiro 2012

tens razão António...se calhar, é mesmo o melhor de sempre..

E que bem que me lembro daquela expressão irritada, assustadora, irrequieta.
Na altura, lembrava-me os desenhos animados japoneses: sempre de boca aberta e sempre a ralhar....:)))

Peter Bolesław Schmeichel (Gladsaxe, 18 de novembro de 1963) é um ex guarda-redes dinamarquês .
Schmeichel celebrizou-se como o grande guarda-redes do
Manchester United na dourada década de 1990, em que a equipe, após mais de duas décadas de decadência, se reergueu e se tornou uma das mais vitoriosas do planeta. Jogou também no rival Manchester City, saindo com uma marca excepcional dos dérbis de Manchester: com nove anos de United e um de City, jamais saiu derrotado.
Nos Red Devils, ajudou a construir um tabu de quatorze anos sem derrotas nos clássicos até que, defendendo os Citizens, acabou por participar na quebra do mesmo record. Ele, que na Inglaterra defendeu também o Aston Villa, detém o recorde de não sofrer golos em 42% dos jogos em que actuou na liga inglesa.
Ao lado dos irmãos Brian e Michael Laudrup, é também alçado como um dos três maiores jogadores de futebol da história da Dinamarca.
Schmeichel foi o guarda redes titular da conquista mais expressiva da Seleção Dinamarquesa, no Campeonato da Europa de 1992. Além disso, marcou dez golos na carreira, um deles pelo seu país.

Paulo Futre, também se lembra dele...

Marquei dois gols nele num jogo da Recopa Europeia pelo Atlético de Madrid em 1991. Ganhamos do Manchester United por 3 x 0 em casa e seguramos 1 x 1 no Old Trafford. Apesar de ter feito gols nele, era um monstro. Só a presença dele já assustava.

Na época 1999/2000 Portugal foi surpreendido com a contratação de Peter Schmeichel pelo Sporting Clube de Portugal.
O “gigante dinamarquês” tinha acabado de conquistar a Liga dos Campeões pelo Manchester United e decidiu desta forma abandonar o clube inglês pela porta grande, igualmente extenuado pelo ritmo de jogos efectuados com uma regularidade de três em três dias.

Na primeira temporada em Alvalade, ajudou a conquistar o campeonato português, que os Leões não conseguiam ha dezoito anos. Na segunda temporada, o Sporting ficou em terceiro, curiosamente, uma marca negativa para o guarda-resdes: pela primeira vez em quatorze anos, ele experimentava a sensação de ficar abaixo do segundo lugar em um campeonato nacional.

Portugal, é sempre uma experiência única....:))

1 comentário:

António P. disse...

Bom dia Cristina,
...e quando o Sporting o contratou disse para os meus botões : " Ainda vão ser campeões ..." e não é que foram ??!!
Quanto aos dinamarqueses curiosamente o único a ganhar foi o Simonsen em 1977 quando jogava no "grande" Monchenladbach...mas os Laudrup ( nomeadamente o Michael, cá para mim ) também mereciam ter ganho.
Bom dia e ainda bem que o Contra Capa renasceu :)