18 outubro 2011

"de Darwin a Lombroso". Ou ...



depois de dormir 9 horas,...a libertação desenfreada e desconexa de neurotransmissores. Também deve ajudar o facto de entre agora e segunda feira só voltar a pensar em trabalho na sexta à tarde . Ou alguma súbita e arrojada manobra cósmica. Ou o copo de um branco de colheita tardia pousado a alguns centímetros, sei lá....




O facto é que, estou fascinada a olhar o jornal das 12, e a pensar em ...... Darwin.
Por mais que a proíbam nas escolas, essa tal “Evolução das Espécies” existe, sim senhor:
Não importa o quão mutável, complexo e hostil se torne o meio em que vive, devidamente adaptado, o animal político, que se reconhece por aquela pinta de quem traça três javalis ao almoço, arranja sempre um confortável modo de sobrevivencia. Extinção? Nem pensar.
Quem quiser ver mais exemplares além dos mais populares, que visite o site da Assembleia e contemple o banner lombrosiano, onde desfilam as sorridentes efígies de todos os eleitos pela infinita estupid... digo, generosidade e feeling político do povo. Que, na verdade, é o único condenado a nunca evoluir– esse sim, um verdadeiro animal......
Ora aí está uma questão que nem Darwin explica.
*cogitando...*
.
Cesare Lombroso
médico, cirurgião e cientista italiano. As ideias defendidas por Lombroso acerca do "criminoso nato" preconizavam que, pela análise de determinadas características somáticas seria possível antever aqueles indivíduos que se voltariam para o crime.

Sem comentários: