14 julho 2011

avada kedavra!



Acabou. Pela segunda vez assistimos, hoje, ao fim da melhor fantasia de todos os tempos, um mundo imaginário “potteriano” de pormenores e lógicas brilhantes que uniu durante uma década milhares de pessoas presas inicialmente nas palavras de A J.K e depois, avidamente, nas imagens que, com mais ou menos brilhantismo, os vários realizadores nos foram oferecendo.

"Ultimo", é uma palavra angustiante. Não vai haver mais nada para esperar. Apreciem o momento, devorem, chorem, se for preciso.

2 comentários:

Piotr Kropotkine disse...

ópá tu não contes o fim senão já não tem piada pá....

Cristina disse...

era lá capaz...