05 janeiro 2011

directo para os arquivos

Aos 12 min,

A passagem de 2010 para 2011 no Amadora-Sintra, com o Simão, a Ana Viturro e a minha doente de estimação D. Antónia, a senhora de quem mais vezes ouvi a frase Tenho Medo. Tenho tanto medo que a noite me leve, que nem me atrevo a deixar-me dormir.

Assim passa a D. Antónia, uma alentejana que a pouca sorte abandonou em Sintra, noites a fio sem dormir até que o pânico e o cansaço se transformam em falta de ar e aperto no peito. Assim passa a D Antónia dias e noites e outros dias sem fim naquela urgência. Podia ter sido escolhida mas não foi e é o retrato fiel do estado de espírito dos nossos idosos. Felizmente, nesta noite de fim de ano, encontrou a sua prenda de Natal: um outro alentejano, com mel nas palavras e grandeza no coração. Fiquei contente.

3 comentários:

luis disse...

Vivam o Simão e a Ana, alentejano e galega do meu coração!

Lucília disse...

Vi esta peça no dia 31. Boa gente, Cristina, e que este ano seja melhor para a D Antónia!
Beijo

Pêndulo disse...

http://sol.sapo.pt/inicio/Vida/Interior.aspx?content_id=8619