07 janeiro 2011

de modos que é assim:


1-Manuel Alegre foi confrontado esta quinta-feira com uma campanha publicitária do Banco Privado Português, na qual participou com um texto.
.
Logo para inicio de conversa, disse que não sabia que o objectivo era a publicidade (que não podia fazer por ser deputado) . Portanto....O Senhor escreveu um texto mas não sabia bem pra quê, o que também não traz mal nenhum ao mundo, que o que não falta por aí é gente a fazer o mesmo. Mas, de qualquer modo, enganaram o home pá.....e como se não bastasse, pagaram-lhe.
.
Entretanto, o candidato, prenhe de brios , vem dizer, do alto da sua integridade, e sem pestanejar, «Escrevi um texto literário sobre a minha relação com o dinheiro. Esse texto foi publicado. Depois constatei que havia realmente publicidade a um banco. Pedi a interrupção do texto, o que foi feito. Mais tarde mandaram-me um cheque e eu devolvi o cheque». Uma questão de princípios, ouvi-o dizer. Ok, muito bem, assunto arrumado.
Eis senão quando.......afinal.... parece que o tal BPP não apreciou a explicação do senhor e diz que o chequezinho devolvido não consta lá nos arquivos. Desculpe?? Mas então....importa-se de repetir?
- ah, pois, afinal tinha-se-me varrido.... «Eles fizeram um depósito na minha conta e eu fiz um cheque meu, com o montante que tinha sido depositado, e esse cheque foi entregue pela minha secretária na sede da BBDO [agência publicitária que fez a campanha]»....se eles levantaram o cheque ou não....sou lá pessoa de ligar a essas coisas....mas já que insiste.... só um bocadinho sefaxavor que eu vou ali "verificar se o banco levantou o dinheiro"...
Entrementes.....ou enquanto o candidato Alegre verifica os extractos bancários, já a «SÁBADO» on line diz que o Senhor «declarou no IRS de 2005 os 1500 euros recebidos pelo texto literário que realizou e que saiu no Expresso com a publicidade do BPP».....-eu??? não me diga!!

5 comentários:

Pêndulo disse...

E leste o texto? Ainda não o li agora mas recodo da impressão que me deixou na altura, a de ser escrito por um balofo aristocrata, coisa incompatível com quem dá arrotos de esquerdismo.
Saliente-se que não incompatível ter dinheiro e ser de Esquerda, apenas pavonear-se exibindo-o como qualquer pato-bravo da construção civil.

Fado Alexandrino disse...

O texto está aqui

http://daliteratura.blogspot.com/2011/01/bpn-bpp.html

Tem todas as vírgulas no lugar não me causou nenhum frémito.
Este fez-me dar uma sonora gargalhada o que nestes tempos apenas quer dizer que sim é altamente literário e recomendável.

Eric Blair disse...

podeis sempre reconduzir a actual alimária

Pêndulo disse...

Eric, que temo uma coisa a ver com outra? O que lá está é aquela coisa tenebrosa mas isso não faz deste o expoente da perfeição, não é?

Eric Blair disse...

Completamente de acordo, Pêndulo, da primeira à última palavra; mas não pude deixar de considerar revelador, este post. Nem tanto os vossos comentários, que aliás poderiam ter sido feitos por mim.
Digamos que se me der ao trabalho de carregar baterias só as apontarei a este depois de as apontar a outro.
Escolhas ...
Abraço