19 dezembro 2010

História dos Tecidos – 4: Idade Contemporânea (2)



Por Juliava Sayuri do MODASPOT.COM


De 1900 a 1920

Musseline, gaze e tule estavam na moda.
Airosos e transparentes, gaze e tule davam frescor aos looks. A musseline é um tecido macio, fresco e fino, construído em ponto de tafetá – o nome é uma homenagem a “Mosul”, cidade no Iraque onde o tecido foi originado.

Ao longo dos séculos, Índia e Bangladesh tornaram-se o lar das musselinas exóticas. Alfaiataria, rendas, flores, arabescos e chinoiserie também marcaram a época.
De 1920 a 1939

Lamê, rayon, musseline organdi e organza foram os destaques da época. Entre as estampas, destacavam-se as listas e as ilustrações de arte moderna.

A palavra francesa lamé corresponde à ideia de “adornos dourados e prateados”. É o nome dado a tecidos feitos com fios metálicos nesses matizes. Desde a década de 1930, o lamé é muito usado em vestidos de toilete.

1921: O raiom acetato na Suíça

Após o fim da Primeira Guerra Mundial, mais uma fibra química foi obtida nas experimentações laboratoriais. Os suíços Henry e Camille Dreyfus criaram a celanese, conhecida como raiom acetato.

1935: O nylon nos Estados Unidos



O nylon nasceu em 1935, de maneira triunfante na história da moda, pois fazia a roupa não amassar. Em 1949, o francês Robert Weill lança a expressão “prêt-à-porter” e traz a moda para a indústria, acessível para todos. Na esteira do nylon viriam o Tencel e a Lycra, tecidos importantes para o fast fashion.


De 1940 a 1950

Na época, a moda mesclava jérsei de lã, veludo cotelê e crepes.

Enquanto a Segunda Guerra Mundial dava o tom para o pesado clima político da época, a moda desdobrava-se para se manter na Europa. O estilo militar, mais sério, continuava em voga, com tecidos pesados e resistentes, como o tweed. Devido à escassez dos tecidos mais finos, como a seda, a moda precisou buscar materiais alternativos, como a viscose, o raiom e as fibras sintéticas.

No pós-guerra, o New Look de Dior daria uma reviravolta na moda. O luxo e o glamour estavam de volta e, com eles, os tecidos nobres para vestidos sofisticados e peles.

1947: O acrílico na Alemanha

A fibra sintética foi lançada em 1947, mas o acrílico só foi produzido em larga escala a partir da década de 1950. É um tecido forte, usado na confecção de malhas e forro de botas, luvas e paletós, na tentativa de substituir a lã .

Sem comentários: