26 dezembro 2010

e pronto...




acabaram os festejos natalícios. E melhor de tudo é que desde dia 24, só saí de casa agora, para desenjoar, na melhor marisqueira de Lisboa.


E melhor porque, além da qualidade e da frescura do marisco -delicioso!-, mantém o ambiente de que a gente gosta nas velhas cervejarias: empregados frenéticos, sempre a "picar" o cliente, bem dispostos e eficientes. A abarrotar, diga-se.

2 comentários:

Fado Alexandrino disse...

A abarrotar, diga-se

Pois é, o que tu não sabes é que numa mesa , a segunda da entrada revezam-se uns fulanos do IRS com uma máquina super compacta da Sony que fotografam todos os que entram e depois por um IPad mandam as fotos logo para o arquivo central onde fica tudo registado e conferem com as declarações dos últimos cinco anos.
Como é que eu sei isto?
Porque um deles ao mandar um foto esborratou tudo com o molho da santola e assim essa foto parecia eu e chamaram-me, quando lhes mostrei a declaração de IRS começaram a rir e puseram-me porta fora, quase a pontapé.
Boa sorte.

Anónimo disse...

Está enganado. Nesta economia, quem corre mesmo perigo é a lagosta. Coitadas, ali, o Auto de Fé é por escaldão!
Pedro C.