03 outubro 2010

Chupa-me isto!

Ricardo Gonçalves, deputado na sua 4ª legislatura (anda nisto desde 1999), aufere 3700 euros. Além disso tem ajudas de custo de 60 euros/dia, coisa que por mês dará 1200 euros, quantia isenta de impostos.
Licenciado em Filosofia, foi (é a sua profissão) professor do Ensino Público durante apenas 12 anos. Se continuasse a ser professor andaria agora pelos 20 e muitos, ou 30 anos de carreira , ou seja andaria pelos 1700-2000 líquidos. Porém só ganharia isso nos últimos anos, antes teria toda a carreira com vencimento substancialmente mais baixo. Repito que só de ajudas ganha uns 1200 e de ordenado 3700, desde que é deputado e não a ter de subir na carreira.
Pois esta criatura queixou-se :
"Eu e muitos outros deputados da província. Quase não temos dinheiro para comer."
"Tenho 60 euros de ajudas de custos por dia. Temos de pagar viagens, alojamento e comer fora. Acha que dá para tudo? Não dá"

Parece-me ser um excelente candidato à galeria "Vai fazer broches a cavalos!". Que acham?

7 comentários:

Cristina disse...

ó Pendulo

tas com o discurso muito sexualizado, hoje...é por ser Domingo?

Pêndulo disse...

Exagerei um bocado, tens razão, mas um gajo sabe há dois dias que vai ter menos uns 6% no ordenado e lê uma destas mal acorda. Começa logo a ver tudo vermelho e a cuspinhar palavrões.

Anónimo disse...

Apoiado, Sugeria apenas cavalos inteiros.

Orlando Queirós disse...

Para se ter menos 6% no vencimento já é necessário ganhar quase tanto como o tal que passa fome, ou já estamos a contar com o IVA, e etc.

Pêndulo disse...

Orlando Queirós, 3.5% +1% CGA= 4.5%

Em Junho tivemos o aumento de IRS- a 1500 por mês correspondem a 21000 por ano

O primeiro-ministro apresentou a subida das taxas de IRS em um ponto percentual para os três primeiros escalões de IRS - rendimentos brutos anuais até 17.979 euros - e em 1,5 pontos para rendimentos a partir daquele montante. Significa que quem estava sujeito, até agora, a uma taxa de 23,5%, passa a ter uma taxa de 24,5% de IRS, por exemplo.

Ora bem, eu ia em 4.5% mais quanto, 1%, 1.5% ? Quanto dá?
Agora some-lhe a subida de 2% no IVA.
Tudo isto com 1500 por mês, longe dos 3700 do senhor deputado, e não estou a contar com os 60 euros por dia, +/- 1200 por mês de ajudas de custo, livres de impostos

Não me parece que seja necessário ganhar quase tanto quanto o tal que passa fome. Aliás, basta ganhar menos de metade e isto sem ajudas de custo.

Orlando Queirós disse...

Continuo a concordar com o sítio onde o outro sr. se deve dirigir a fim de executar o dito "ornamento". Concordo que com tudo junto vai chegar a esses valores, resta-me a infeliz alegria de não ver o meu salário alterado. Quem sabe isto não muda até Dezembro, pode haver uma calamidade para as zonas de S. Bento, enfim, não que eu queira mal a tal gente, mas gente não é certamente, porque gente não rouba assim. Bom Feriado da República, coitadinha.

Melancia disse...

por aqui as pedras da calçada estão a chorar, de tanta pena do sr. deputado...
quando vêm com medias só se esquecem é de dizer que maior partes dos funcionários publicos ganham menos de 1000 euros...