03 julho 2010

Pardon my french

Ó Cristina, perdoa a linguagem mas quanto te fodem ao ordenado todos os meses? É 10% ?
Agora vou fazer de ti uma fiscalista instantânea. Lê isto:
2 - Excluem-se deste imposto os prémios literários, artísticos ou científicos, quando não envolvam a cedência, temporária ou definitiva, dos respectivos direitos de autor, desde que atribuídos em concurso, mediante anúncio público em que se definam as respectivas condições de atribuição, não podendo a participação no mesmo sofrer restrições que não se conexionem com a natureza do prémio.
Portanto só não pagam IRS se cumprirem as condições acima.E agora lê isto:
3 - As gratificações auferidas pela prestação ou em razão da prestação de trabalho, quando não atribuídas pela entidade patronal nem por entidade que com esta mantenha relações de grupo, domínio ou simples participação, são tributadas autonomamente à taxa de 10%

E agora diz-me o que pensas do gajo da foto que ganhou um prémio do Ministério da Cultura (pago pela tal percentagem do teu IRS) de 10.000 euros e ficou enxofrado por lhe quererem ficar com com mil e, ó ofensa suprema, querem que o gajo mostre que não deve nada de impostos.
Cá por mim foi dinheiro que se poupou que ia ser dado a quem não merece. Há muito onde ele é mesmo preciso.
PS: Ó Animal, tu que andas pela UBI conheces este
Rogério da Costa Pereira que também é pago pelo Estado e ficou indignadinho com o terrível mal do Nozolino e não publica os comentários que lhe desagradam?

Foda-se! Tanto campo no Alentejo por cultivar... e tantos gajos que se julgam o Povo Eleito, acima do resto dos mortais.
Pronto, já estou mais aliviadinho

16 comentários:

Cristina disse...

bom, só nas horas extraordinarias fodem 40%

agora....quem é esse artista ofendido? sabes que mais?? já que estamos tão tão aflitos....que tal fechar o ministerio da cultura e mandar esses gajos, efectivamente, trabalhar? se estamos em situação desesperada, equivalente a tempos de guerra ou pior, sei lá, pra que é que precisamos de actvidade cultural?

passem esse dinheiro para apoio a crianças de risco, para lhes dar uma vida e uma educação digna, para familias na miseria, para velhos que morrem abandonados e à fome, como nós vemos todos os dias.

talvez isso fosse, sim, uma atitude de coragem.

farta de prima donnas

Anónimo disse...

Ele não pediu nada, deram-lhe 10 mil euros, pelo que percebi quando lhe mandaram a cartinha, deveria ter vindo escrito, prémio de dez mil euros sujeito a irs e só possivel de ser levantado mediante a apresentação disto e daquilo e do formulário x.

O que o irritou foi fazerem uma grande cerimonia, bla bla, e depois o raio das burocracias e o dinheiro já não era bem dez mil.

até podia ser menos um euro.

Não gostou, denunciou e devolveu o dinheiro.

Até pode estar errado, mas tem principios, ao contrário de todos os chupistas dos politicos que andam a mamar.

Cristina disse...

R Costa Pereira era, se não me engano, o Monty do ex AFIXE

Cristina disse...

tem principios.....LOOOOOOOOOOOOL

se fossem dez mil, estava tudo bem, como é taxavel, tem principios...:))))

Pêndulo disse...

Os princípios dele valem exactamente 1000 euros.
É como a Cristina diz, se desde o início tivesse dito "metam o prémio no cu" nada havia a apontar.
E a ofensa de quererem saber se deve ao Estado? Ui que ofensa. Se a Cristina e a Cila da Fundação Chama Saúde forem pedir uns trocos para aparelhos que salvam vidas e lhos derem têm, antes, de provar que a Fundação nada deve e se calhar até fazem uma ginástica do caraças para conseguirem ter aquilo a funciona.

Para o ano deviam dar ao Nozolino um prémio isento de IRS-uma enxada.

Anónimo disse...

Sim, deram-lhe um prémio,ninguem lhe disse que tinha de descontar o prémio, não gostou, devolveu o dinheiro e disse porque.

provavelmente você aceita tudo o que lhe dão, desde que envolva dinherio, ele não

ele ainda frisou que nunca aceitou nada do estado...

parece-me bem.

Pêndulo disse...

Espera aí, Nozolino é diferente dos restantes cidadãos? Se qualquer empresário decidir dar um prémio a um empregado este está sujeito a IRS. Que tem Nozolino de diferente?

"ele ainda frisou que nunca aceitou nada do estado..."

Mas aceitou agora, certo? Se não fossem as exigências aceitava ou não?

Quanto ao deselegante "provavelmente você aceita tudo o que lhe dão, desde que envolva dinherio, ele não" está enganado, conheço a Cristina. Ao contrário de Nozolino que só aceita se forem 10.000. Faz lembrar as chamadas "putas finas", não é?

Fado Alexandrino disse...

Estou a gostar desta troca de argumentos, agora para poder entrar na mesma, por favor digam-me quem é Paulo Nozolino e o que é que fez pelas tais Artes.

Eric Blair disse...

olé Pêndulo olé

Animal disse...

ó Pêndulo, há quase 5 anos que não ando pela UBI... passei-me prós privados (na expectativa de enriquecer, mas fodi-me no processo, hehehehe)

Animal disse...

sobre o assunto do prémio devolvido à procedência talvez seja interessante ler isto:
http://origemdasespecies.blogs.sapo.pt/1202887.html

Pêndulo disse...

Já li e fiquei a conhecer mais alguém que fala do que não sabe.
É que tenho aqui um código do IRS de 2001 e já lá tem o tal artº 12, nº 2 que é o que obriga o Nozolino a pagar. Desconfio até que aquilo existe desde o início do IRS. Como sabes os impostos são criados pela Assembleia da República, não é por um qualquer director geral dos impostos.
Se está bem tal lei? Talvez não, porém imagino que ela não existisse e penso logo em ti, fodido com os impostos que pagas, ou na Cristina dos 40%.
E penso logo numa conversinha tua com quem te paga
"Olhe, não me faça pagamentos, eu vou fazer uns quadros, até peço ao filho da vizinha que tem 5 anos para os fazer, e você vai dar-me um "Prémio Marreta d'Ouro Artística e assim eu não pago tusto e você , se calhar, ainda arranja maneira de pagar menos à conta do Mecenato e tal".

Animal disse...

os únicos quadros que pinto são nuns rectângulos de papel que compro nas finanças. chamam-lhes "recibos verdes" e os últimos que pintei chamam-se todos "Sem Título".

ainda não amanhei nenhuma forma eficaz de me baldar ao fisco, mas ainda não desisti. talvez um dia consiga...

Pêndulo disse...

lolol mas senão fosse a tal lei passavas logo a ser "um artista português". Até eu passava se pudesse.
E ganhavas eficácia na fuga.

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

O Nozolino é simplesmente um dos melhores fotógrafos portugueses de há muitos anos a esta parte. É reconhecido cá dentro e lá fora e já ganhou inúmeros outros prémios antes deste.

Não vejo onde esteja a arrogância dele em recusar o prémio. O texto dele é directo e revela que as motivações da recusa não passam apenas pela retenção do IRS. Como alguém disse, é mesmo uma questão de princípios e de integridade.

Cristina disse...

desculpe lá.....qual é o principio que está subjacente à recusa de um premio que devia mostrar reconhecimento? pode explicar-me exactamente porque é que receber um premio é uma falta de principios? e que recebe? não os tem?? este está acima disso? não percebi...só percebi que a azia só começou quando verificou que o governo ia taxar o premio.

sendo assim....o senhor que continue a tirar fotografias e não as mo0stre a ninguem! desse modo não corre riscos....

pachorra pra estas prima donnas