30 julho 2010

Hong Kong, o paraíso dos mercados

Quando se pensa em Hong Kong, independentemente do impacto causado pelo tamanho, pela beleza natural e pela imponência da construção, pensa-se num imenso centro comercial ao ar livre. E é. Melhor que tudo, é um imenso outlet. Tem o aspecto de uma cidade moderna montada em grandes avenidas que se misturam com ruelas tradicionais, todas elas um amontoado de cartazes chamativos e coloridos. Muita luz e muita cor. As grandes marcas ocupam todos os prédios da zona mais comercial, as filas de espera para entrar sucedem-se, tanto mais que é época de saldos. Não me perdi por aí.
Levava na ideia a procura dos mercados de rua e foi basicamente por onde circulei. Comecei por um local que considerava um must go: Bird Garden, ou mercado das aves. Surpreendeu-me a tranquilidade do local. Ali se vendem gaiolas ornamentadas, aves canoras e comida viva. O mais encantador: a quantidade de pessoas que ali se juntam para passear e mostrar os seus próprios pássaros, pendurando-os em traves colocadas para o efeito, sentando-se depois, tranquilamente, a conversar.

Passamos dali para um outro mercado que é seguramente o paraíso dos aquariofilistas e "lagofilistas"(o nosso caso): fish market. Uma rua inteira em que todas as lojas vendem tudo o que já conhecemos mais os peixes e plantas que só conhecíamos das revistas e que só se dão em climas como o da China. Para quem gosta, é o.bri.ga.tó.ri.o.
Curiosidade: à venda existem arrefecedores de água, ao contrário do que estamos habituados...

Além destes, temos vários mercados de rua, Temple Street Markt, Lady's Market, Flower Market e outros.
Outras visitas, são poucas. Não fui ao Pico Vitória porque estava nublado, além dos constantes alertas nos hotéis sobre a chegada de um tufão tropical que depois, por ali, não passou de uns aguaceiros que bem souberam no calor abrasador. De qualquer modo não havia visibilidade suficiente.
Vi a Symphony of lights Hong Kong, um jogo de luzes oferecido pelos comerciantes aos turistas todas as noites. Bonito mas não espectacular



5 comentários:

Francis disse...

that's all ?

Fado Alexandrino disse...

Cris, já não vistes e ninguém volta a ver isto

The landing approach using runway 13 at Kai Tak was spectacular and world-famous. To land on runway 13, an aircraft first took a descent heading northeast. The aircraft would pass over the crowded harbour, and then the very densely populated areas of Western Kowloon. This leg of the approach was guided by an IGS (Instrument Guidance System, a modified ILS) after 1974.

Mas é claro que vistes outro lado do nosso planeta.
Sortuda.
Havia lá caracóis com cerveja geladinha?

Cristina disse...

Francis

de Hong Kong sim. Falta Macau. e Pequim, que ainda não tive coragem. 4 dias de fotos...

Cristina disse...

Fado

cerveja chinesa, sim. Caracóis, isso é que nem na China! :))) é petisco exclusivo, acho.

dalloway disse...

Chegou a certa altura que pensei estar dentro de um aquário...