09 junho 2010

isto de estar às 5 da manhã sem fazer nada e sem poder dormir, dá que pensar.





Mas afinal.....que raio de diagnóstico tem o Nani?


Ao que parece, o jogador, nos treinos em Lisboa-Massamá, terá tentado um pontapé de bicicleta e caiu sobre o ombro. Daqui, resultou um "traumatismo na clavícula". Certo. Mas depois.....desse traumatismo, resultou o quê???? Há várias opções relativamente toscas: "lesão da clavícula", "dano da clavícula", e por fim há referência a persistência das queixas, e à confirmação das "piores expectativas". Isto quer dizer que a clavícula do homem tem exactamente.... o quê?? Leio no António Boronha, que será uma fractura e n' A Bola que é uma fissura. E fico, como ele, estupefacta com o facto de por um lado ter sido contraída em Lisboa, e, por outro, o jogador ter seguido com uma lesão incapacitante para o Mundial. Mas há outro dado: Carlos Queirós diz que "exames mais profundos" revelaram o pior. Já na África do Sul. Então, voltemos ao principio. O jogador lesionou-se. Concordamos todos, acho, que a tal lesão incapacitante existiu desde o inicio; a tal fissura, ou fractura. Portanto, o que parece é que o assunto foi tratado na base do "deixa lá que isso passa", "em dois dias tratamos disso". Só que depois, lá vieram os "exames mais profundos" estragar tudo.


Conclusão. O que é que eu quero perguntar a quem possa responder, é:

O Nani é, concordarão, um dos jogadores mais importantes da selecção. Foi afastado por lesão. Porque é que até agora não há um relatório médico a explicar exactamente qual é o diagnóstico e o que se passou?

A gente quando não sabe, inventa. E pode bem inventar que não diagnosticaram a lesão nem tiveram, portanto, a noção da gravidade da situação. Ou então, fizeram o diagnóstico correcto e trataram com demasiada displicência uma lesão que obrigatoriamente afastaria o atleta da competição. Porque afastaria. Mas depois, vêm os tais "exames profundos" feitos lá. Porque é que a coisa não foi tratada com a segurança devida despistando logo aqui lesões mais graves? E não me venham cá dizer que estavam a ver se passava por causa do drama humano. Tretas. Há que ser acima de tudo profissional . Até porque, se calhar, foi pior criar a ilusão no atleta de que estava tudo bem. Mas inclino-me para a primeira: não viram.
Quem sabe se não foi por isso mesmo que Queirós diz que foi o maior drama humano que teve que enfrentar....(lá está....a gente quando não sabe, procura no que tem). Até porque, Carlos Queirós declarou esta coisa extraordinária: «É uma lesão que não lhe permite competir e portanto, com o dano na clavícula, nós em contacto com o Manchester United percebemos que não havia outra possibilidade se não dar baixa»
Nós, em contacto com o Manchester United percebemos.
Pois é....como diz o António Boronha, que a história está mal contada, está. Que o Manchester se pôs em campo para assumir imediatamente o curso dos acontecimentos e a recuperação clínica do jogador, pôs (devem ter tido o mesmo tipo de apreensão que eu...).
É que como a história se farta de mostrar, há coisas que por cá, no campo da medicina desportiva e da preparação fisica, nunca se aprendem.

2 comentários:

Fado Alexandrino disse...

Um dia o Proença de Carvalho era presidente da RTP (sim este homem já foi tudo em Portugal) e perguntaram-lhe porque é que ela não respeitava os horários ao que ele respondeu:

"meu senhor se nada funciona bem em Portugal você queria que fosse a RTP a destoar?"

É para dizer que aqui, na selecção, também não querem destoar embora eu acredite que o jogador deve ter procurado iludir e iludir-se sobre a gravidade da lesão.
De qualquer maneira voltando ao futebol a coisa está a correr bem.
Três maus ensaios prometem uma estreia em cheio.

fónix disse...

Mas afinal quem é esse nani ?