06 abril 2010

no reino da neuroslónia. que liga com parvónia.


António Mexia, justificou hoje ter recebido 1,9 milhões de euros de remunerações em 2009 com o facto de ter ultrapassado os objectivos propostos pelos accionistas da eléctrica.
"A única coisa que as pessoas aparentemente deixaram de estar habituadas em Portugal foi a que alguém consiga fazer aquilo com que se comprometeu”.

Claro, também se pode analisar a coisa de um outro ponto de vista...o gestores portugueses têm como tão normais as gestões ruinosas que quando acertam se acham com direito a levar parte do bolo. Um prémio bilionário, senhores!, como se esse não fosse o fim para o qual lá estão. Tem razão, em Portugal, geralmente não é. Mas sendo, cumpriu a sua obrigação e ponto final na história. Até porque, tendo o monopólio do oficio não deve ser nada do outro mundo...por outro lado, que a EDP se tornou “na maior multinacional portuguesa, no maior investidor português no estrangeiro".....e daí?, a mim, como cliente, em que é que me beneficiou? Esses brilhantes negócios amenizaram as gordas contas dos clientes portugueses? Não me parece.....é que o dinheiro é preciso pra pagar os prémios.

3 comentários:

dalloway disse...

Oscar Wilde dizia que, "quanto mais analisamos as pessoas, mais desaparecem as razões para as analisar. Mais cedo ou mais tarde, chegamos àquela coisa horrorosa, universalmente conhecida como natureza humana."

Piotr Kropotkine disse...

e os objectivos....hummmm quais seriam? fazer despesa? é que a avaliação dos resultados de todos os investimentos realizados só será possivel daqui a 20/30 anos ..... não me parece que o autor de tão grande endividamento ainda esteja "disponivel" para ser avaliado então.....

Francis disse...

" Os sacrifícios de Mexia

António Mexia sempre defendeu menos Estado e mais sacrifícios para garantir o futuro do País. Estado nunca lhe faltou. Sacrifícios é coisa que não parece conhecer.
"

http://aeiou.expresso.pt/os-sacrificios-de-mexia=f574789