26 abril 2010

habilitações devia ter quem disse, ou escreveu, tal coisa..



.

Bom....estou em crer que a dirigente da FNAM queria fazer uma acusação qualquer mas nem sabe bem o quê.......isso sim, é grave. Mas enfim, o movimento sindical por cá, é o que é....
.
Só pra que conste, um médico para trabalhar num serviço de urgência não é obrigado a "passar no exame da especialidade". Aliás, nem é obrigado a "ser especialista". É obrigado a ser médico, autónomo. Mais nada.

E claro, também há aquela velha hipótese de o jornalista que ouviu a declaração ter escrito aquilo que lhe pareceu sem fazer ideia do que estava a escrever....ou, pelo menos, sem tentar saber quais são as condições que um médico tem que reunir para trabalhar numa urgência. Mas isso era pedir muitííííssimo, não acham..?

2 comentários:

António P. disse...

Exactamente , Cristina.
Eu qaundo ouvi ( 1º na rádio do carro ) e vi/ ouvi ( depois nas televisões ) os senhores da FNAM, disse cá para os meus botões na minha "ignorãncia" de não médico :
" Não percebo qual a acusação que a FNAM quer fazer se é que quer fazer alguma."
Mas é como diz, Cristina, é o sindicalismo que temos por cá.
Cumprimentos

papoila disse...

É grave! Muito grave, porque uns não sabem o que dizem, outros não sabem o que escrevem e outros ACREDITAM no que ouvem e no que lêem!
Veja-se o sarilho que isto dá!
Gostei da informação que aqui li.
bjs