24 março 2010

quando se fala de deputados, a política não é assunto.


O Tomás Vasques do Hoje há Conquilhas ultimamente, se não sempre, é cada remate cada golo!

A propósito da polémica sobre as viagens de Inês de Medeiros, deputada eleita por Lisboa mas que não vive em Lisboa, vive em Paris, e que faz o especial favor de se sentar durante a semana numa cadeira da Assembleia da República, penso mais ou menos o mesmo que o Tomáz: a coisa fede ( meteu-se numa batalha perdida, seja qual for a decisão final. Perde se não lhe pagarem as deslocações a Paris, mas ainda perde mais se lhas pagarem). E digo mais ou menos porque, ao contrário do Tomáz, não lhe acho piada em nenhuma das outras vertentes citadas...

4 comentários:

Fado Alexandrino disse...

Pois eu acho que se não lhas pagarem, paciência, se lhas pagarem quem perde somos nós.

dalloway disse...

Assim de repente a única coisa que me vem à cabeça é pensar que o Maestro Vitorino de Almeida anda a mendigar ajuda financeira para poder sobreviver no seu dia a dia enquanto a filha espanja dinheiro desta forma. O que tenho a ver com isto? Absolutamente rien! é só um "lampejo de livre pensar"

Francis disse...

absolutamente ridiculo...
mas mais ridiculo o argumento que josé lello usou para defender o pagamento das viagens à menina..."Na última reunião, o socialista José Lello, que preside ao conselho de administração, argumentou que inviabilizar a deslocação semanal a Paris de Inês de Medeiros põe em causa a livre circulação dos cidadãos europeus."

papoila disse...

Num País repleto de socialistas, tiveram que ir buscar esta a Paris????E de doidos!