06 janeiro 2010

quantidade é apenas um pequeno critério de avaliação de qualidade



A propósito do post do Anarca, referindo-se às declarações da Ministra da Saúde,

[«dizer que as decisões terapêuticas podem ser concentradas não quer dizer que os tratamentos sejam aplicados centralizadamente», já que após se saber qual o tratamento a fazer este poderá ser dado num local mais próximo das pessoas ]

devo dizer que concordo inteiramente com as declarações do presidente do Colégio de Oncologia da Ordem dos Médicos Jorge Espírito Santo que contestou a ministra da Saúde e defendeu que, a hipótese de um qualquer médico realizar um tratamento prescrito para nesta área pode ser «muitíssimo perigoso», já que o tratamento só deve ser feito em unidades especializadas.
Disse em entrevista,
«Se acontecesse uma reacção grave, uma toxicidade grave ou uma complicação da terapêutica quem lá estava não tinha experiência nem conhecimento suficiente para tratar do doente», explicou este oncologista.
«estes tratamentos são especializados e só devem ser executados na presença ou sob a supervisão estreita do oncologista num meio especializado».
Este oncologista defendeu ainda que se crie um centro especializado para o tratamento destas doenças em cada região do país e que tratem estes doentes com qualidade.
«A quantidade é apenas um pequeno critério de avaliação de qualidade. A grande medida de qualidade dos tratamentos e dos cuidados que são prestados aos doentes são os resultados da taxa de mortalidade e taxa de sobreviência aos cinco anos», concluiu.
.
De facto, já passou o tempo, felizmente, em que qualquer médico, numa enfermaria, ou hospitais de dia, podia administrar tratamentos oncológicos desde que se sentisse vocacionado para isso, sem oncologistas a orientar esses mesmos tratamentos.
Centros oncológicos, serviços de oncologia, são os únicos que podes monitorizar convenientemente as terapêuticas que executam, as complicações e os resultados.
.

1 comentário:

Pézinhos N' Areia disse...

“Requisitos para a Prestação de Cuidados em Oncologia”, é o documento elaborado pela Coordenação Nacional para as Doenças Oncológicas.


http://www.acs.min-saude.pt/wp-content/uploads/2009/12/requisitos_prestacao_cuidados_do.pdf


o debate e a apresentação de propostas/sugestões segue aqui, na consulta pública, até fim de Janeiro de 2010:


http://www.acs.min-saude.pt/2009/12/30/requisitos-pco




o que está em causa é MUITO IMPORTANTE.

Muitos cidadãos poderão ser prejudicados se algumas medidas deste documento forem levadas a efeito.