29 janeiro 2010

manhosos, manhosos, manhosos!


“Há, sim senhor!
Há um Portugal sério, um Portugal que trabalha, que estuda; curioso, atento e honrado! Há um Portugal verdadeiro que não perde o seu tempo com inimigos fantásticos e cujo único desejo é apenas e grandemente ser Ele próprio! Há um Portugal, o único que deve haver e que afinal é o único que não anda por causa dos vários Portugais inventados de todos os lados de Portugal! Há um Portugal profissionalista, civil e insubornável! Há, sim senhores! Mas entretanto…
Entretanto, a nossa querida terra está cheia de manhosos, de manhosos e de manhosos, e de mais manhosos. E numa terra de manhosos não se pode chegar senão a falsos prestígios. É o que há mais agora por aí em Portugal: os falsos prestígios. E vai-se dizer de quem é a culpa de haver manhosos e falsos prestígios: a culpa é nossa, e só nossa!”

José de Almada Negreiros, In Diário de Lisboa de 3 de Novembro de 1933

5 comentários:

Anónimo disse...

:-)

Abraço

intruso

francis disse...

tão actual.

Pézinhos N' Areia disse...

Porra katé parece ke foi escrito há bocado ...


ó cristina, que fantástico texto.

beijão e bom fds.


Ah !

E viva a justa luta dos nossos queridos enfermeiros que tão importantes são para o cumprimento da missão dos médicos e para a cura dos doentes do SNS.

Anónimo disse...

Já era assim e continua. É a democracia que temos: quem pode luta e leva alguma coisa. Os professores e, agora, os enfermeiros que vão dobrar os manhosos do sistema. Os outros, sem força, estão lixados...

Pedro C

san(T)os disse...

foi o momento de genialidade deste senhor... Mal ele sabia que passado estes anos, tudo está ainda igual..