05 janeiro 2010

esses tais 90 000....


que agora pedem um referendo, e que enchem a boca com este extraordinário número como se fosse a maioria absoluta do povo português, ainda não se lembraram que a maltosa que votou no PS, e no BE, e no PCP, e no PEV representam muitos 90 000?? Há coisas que me irritam na democracia. Nomeadamente, a falta de sentido democrático....

14 comentários:

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Ora nem mais!

Anónimo disse...

Na nossa longa constituição existe o referendo (consulta ao povo, em vez de aos seus representantes)como aperfeiçoamento da democracia. Senão serve, deite-se fora como apêndice inútil. Ao contrário, que os dos interessados directos nestas coisas, ao menos, sempre servem para fazer chi chi...

Manel disse...

Entre os 90.000 constam alguns deputados da Nação.
Pergunto o que é que aquelas abentesmas estarão a fazer no parlamento além de roçarem o cu nos banco.

OBS: Envio, daqui, um cumprimeto especial ao Pinheiro Torres.
Eu sei que ele é ele sabe quem eu sou.
Para quem como eu que conhece o Torres, ver a figurinha que ele fez nos Prós e Contras, é deveras arrepiante.

Aquele abraço
manel

Fado Alexandrino disse...

Segundo o que já foi explicado só o BE é que tinha explicito este assunto no programa, que como os outros programas deve ter sido lido por talvez vinte pessoas.

Se mal pergunto, tu lestes o programa do partido em que votastes?

Falas aí no PEV.
Mas alguém sabe para lá da Dona Heloisa que já está há um século no parlamento quem é que vota neles?

Miguel disse...

A minha opinião sobre o assunto já dei e é clara.

Sobre este argumento, fico a saber que toda a gente que votou no PS, no BE, na CDU só o fez por causa deste assunto! Podiam era ter todos votado no BE ou na CDU que ao menos assim tiravamos de lá o palhaço do nariz rosa, das falinhas mansas e do bolso cheio...

Ó Cristina... sinceramente!!

Cristina disse...

Fado e Miguel

duas coisas:

eu votei PS e sabia que o Ps haveria de tentar aprovar esta lei. (não li o programa ao pormenor mas sabia as linhas mestras e esta era uma delas)

agora...os que votaram BE PCP e PEV, sabiam, com toda a certeza, que se a questão fosse levantada na assembleia, COMO O PS PROMETEU QUE FARIA, estes deputados votariam a favor. Ou alguem me quer convencer que os votantes foram apanhados de surpresa??

ó meninos....sinceramente!! areia nos olhos? essa malta são cerca de 3 milhões, acho. e quem não vota, desculpem, mas não tem "voto na materia".

os referendos são ridiculos a não ser, a meu ver, para um assunto de primordial importancia para a nação e completamente inesperado. o que obviamente não é o caso, uma vez que o PSD e o CDS acham que é um problema irrelevante para ser resolvido, certo? e eu, realmente, não vejo que isto seja exactamente o fim da país ou mesmo civilização....apesar de (cada vez menos) ler o Cesar da Neves....

Miguel disse...

Cristina,

Eu não falei na minha posição sobre o assunto. Não disse se era a favor ou contra, porque não foi isso que me fez vir aqui "mandar a minha posta de pescada".

A minha posição está claramente exposta no meu sitio, há muito tempo, muito antes das eleições.

Relativamente ao post, o que me parecia era que as pessoas não votavam PS, BE ou CDU por causa deste assunto, que na minha modesta opinião é COMPLETAMENTE secundário para tornar este país melhor ou pior. As pessoas votaram em quem votaram por coisas mais importantes.
Parecia-me ridiculo para a esmagadora maioria das pessoas pensar que alguém votou no PS porque o PS disse que abordaria este assunto nesta legislatura.

NO entanto entendo que é um assunto que devia ser debatido, depois de outros mais importantes, e feitas as correcções que achassem necessárias.

Mas fiquei a perceber, pelo seu comentário, que realmente este era O ASSUNTO principal para se votar no PS. Erro meu portanto!
Sendo assim peço desculpa pelo meu lapso.

E siga-se a caminho do fundo. Um dia, já não muito longe acho eu, haveremos de lá cehgar se continuarmos neste caminho...

Não sei se me fiz entender?

Fado Alexandrino disse...

Já agora, mais uma vez, deixo aqui a minha opinião como já coloquei noutros sítios.
Este é um problema de direito, deveres e garantias que todos devem ter perante todas as situações.
É inadmissível que nos hospitais haja restrições a certo tipo de visitas, que um casal LGBT quando um morra o outro perca direitos que não possam declarar IRS juntos e outras e tantas coisas que são comuns na vida em comum.
Este assunto nem merece discussão.
Que seja necessário fazer-se casamentos para isto, acho ridículo.
Qualquer boa Lei resolvia isto.

Cristina disse...

Miguel

ora aí está, foca duas coisas importantes: ha pessoas que votaram no PS por causa desta lei, especificamente, e por outro lado, o assunto é completamente secundário. sendo assim, aceitemos as duas e deixe casar quem quiser.

Cristina disse...

Fado


é uma perspectiva legal certa. mas penso que a palavra "casar" é importante para quem o faz. até para os casais hetero. podem viver em união de facto, mas se perguntares se gostariam de ter feito um casamento, na maioria das vezes, em pelo menos um dos dois, havia esse desejo. porque, apesar de tudo, por muito que se diga que não, é "diferente".

Miguel disse...

A minha opinião sobre o tema...

http://100palavrasounao.blogspot.com/2009/08/casamento_02.html

... é basicamente a do Fado.

Por mim podem casar e depois descasar como toda a gente faz agora... Nada a opor.

O que me espantou, porque venho regularmente aqui ler o que escreve e sempre admirei a sua argumentação, concorde ou não com a opinião, foi exactamente a argumentação usada aqui.
Há mil razões que podia usar para defender o que defende.

Essa parece-me a pior.

Quem elege um governo - e vou abster-me de comentar já que governo! - por uma coisa completamente secundária destas para um país que está de rasto... é demasiado inacreditável.

Como disse, e bem, num país de tanga, endividado em 100%, que dentro de 4 anos estará endividado em 120%, uma das linhas mestras é este assunto!
Valha-nos Deus!!!!

E se tivermos em conta que este governo tem o PM mais trafulha da história de Portugal...

Enfim, é mau de mais para ser verdade mas, no fundo, demonstra a rzão porque Portugal é o paísinho que é, sem educação, sem justiça, sem valores, onde quem tem poder ou é rico vive impune e os outros que se lixem!!!

Em qualquer país decente, este senhor já tinha caido do poleiro há muito. Aliás, nunca lá chegaria... ou não! Que a politica hoje já perdeu a honra e está muito longe de ser uma profissão honesta...

Como eu costumo dizer, há muita puta com mais carácter que muitos politicos!

A modos que era isto!

Miguel disse...

(sorry... eu de novo!)

Relativamente ao comentário que fez ao Fado, ao casar, refere-se ao civil ou à igreja? Ao documento legal ou à cerimónia da igreja ou à festa em si (vulgo copo de agua)?

É que uma relação, especialmente uma relação tipo a que o casamento supõe, não fica melhor ou pior pelo facto de se ter assinado um papel, pelo facto de se fazer votos em frente ao padre ou pelo facto de ter tido uma festa de arromba.
As relações são suportadas pelo carácter das pessoas, pelo assumir os compromissos, pela partilha da vida, pelo companheirismo, pelo Amor... E nada disto se decreta num papel, num sim perante um padre numa igreja deslumbrante ou porque se teve uma festa com caviar, lavagante e 2 mil convidados!

Portanto, essa diferença que diz que existe, por muito que se diga que não, existe porque as pessoas vão atrás de coisas que importam pouco em vez de se basearem em coisas que realmente fazem a diferença.

Essa diferença que fala, que diz que existe, não interessa quando se trai o parceiro, fisica, emocional ou monetariamente. Nessa altura essa importância, que é de aparências, é posta de lado porque não interessa na realidade para nada.

E porquê?
Porque o carácter das pessoas, o assumir dos compromissos, a partilha da vida, o companheirismo, o Amor... não existem! Mas exite o tal papel, houve o tal sim na igreja fabulosa e a tal festa de arromba!
Que valem o quê?
Nada!

Ahhh... pois!

Um beijinho que já me alonguei demais. Gosto muito de vir aqui... coisa que faço há uns 3 anos... desde que me iniciei nisto e a descobri...

Cristina disse...

Miguel

ach que vocês percebeu exactamente o que eu quis dizer com "diferente". isso é conversa pra boi dormir, como dizem os brasileiros, não é?

quanto ao país, vai continuar a existir, melhor ou pior, e acredite que o facto de haver casamentos gay não vai afectar a sua vida nem a minha. continuar a discutir isso não leva a nada pois não? alem de cansativo...

Miguel disse...

Tenho a certeza absoluta que casarem ou não não vai afectar a minha vida!

Já ter de levar com o Socrates e os seus amiguinhos corruptos afecta. A minha, a sua, a de todos. A dos que votaram nele e a dos que não votaram nele...

Antes afectasse só a dos que votaram nele... Isso é que era uma coisa valente!

Peço desculpa por a incomodar...