18 setembro 2009

Masturbation. Next.


Segundo o DN, terá sido o assessor de Cavaco Silva, Fernando Lima, quem disse ao Público que o presidente suspeitava estar a ser espiado pelo Governo. O Diário de Notícias publica, esta sexta-feira, um e-mail que provará que a ordem partiu do próprio chefe de Estado.
.
Sócrates leu com atenção mas, num acto de coragem sem precedentes, explica que a sua boca não se abre, não tendo mesmo nada a dizer. Jerónimo, que não foge à luta, relembrando os grandes ensinamentos dos melhores compêndios de democracia Castrista, lamenta o estado a que chegaram os serviços secretos. E Portas, assim de repente, repelindo sumariamente qualquer pensamento mais profundo, afirma que a violação não sei de quê entre o PR e um jornalista é um assunto sério. Qualquer coisa a ver com aquele gajo que tá sempre pendurado no Twita mas também brinca aos emilios...

* * * * *
.
-sabem o que vos digo? o Natal aproxima-se, as eleições também, e a minha fé na política é como as árvores no Outono: cada dia cai uma folha.

3 comentários:

Pêndulo disse...

Só numa coisa discordo no teu excelente post, num acto de coragem sem precedentes, explica que a sua boca não se abre,
O mail é de Abril de 2008, descobriram-no agora? Ele ainda existe sequer?
Claro que Sócrates não vai falar, isso dá-lhe votos, apesar de eu crer que sabe disto há triliões de anos. Foi a arma guardada para ser usada na campanha.
Não se veja aqui qualquer defesa de Cavaco/Manuela Ferreira Leite. Nunca gostei de gente que vive há anos na política e procura dar a imagem de ser uma entidade divina e acima dessas coisas de mortais.
Sabes a que conclusão chego? O dinheirinho que tu e eu pagamos de impostos é mesmo apetecível. Tanto que esta gente baixa a este nível.

"Há muito que o ar nesta latrina se tornou irrespirável"

No Sofá com Rodri disse...

A politica cá no nosso pais está cada vez mais desgraçada...


Como é que pode haver fé?! É que nem Outono...

Saudações

Fado Alexandrino disse...

Deste caso retiro duas conclusões.
Os políticos perderam o contacto com a vida real dos portugueses.
Os jornalistas deixaram de dar notícias e passaram a ser eles a notícia.
Ambas são más.