03 agosto 2009

As redes sociais, esse demónio


Os blogs, mensagens em massa, redes sociais, mundos virtuais e outros sites de interacção tornaram-se subitamente muito populares. Aí multidões gastam o tempo livre (e boa fatia do que devia estar ocupado) a participar naquilo que dizem ser relação social. Mas, como nos exemplos referidos, estes contactos não constituem verdadeira conversação humana. Se podem evoluir para algo com significado, em geral não passam de dissipação e ociosidade.
Não é possível entabular contactos relevantes e válidos com desconhecidos ou passantes eventuais. Isso é verdade na rua como na Net, por muito que isso frustre as certezas dos fanáticos da novidade. Podem fazer-se novas amizades no mundo virtual, mas à custa das antigas e verdadeiras amizades. Poderei ter afecto por uma pessoa que não conheço? E como conhecer alguém de quem apenas recebo algumas frases em escrita truncada? Muitos, que são em geral reservados com estranhos, estão dispostos a meter em casa pela Net desconhecidos durante horas.

3 comentários:

Cristina disse...

epá...isto é daquelas coisas que nem vale a pena comentar. se se tratasse de um tipo que participa em redes sociais, que comunica, que "fala" com pessoas na net e me viesse dizer que não fez um unico amigo, enfim.....ainda poderiamos discutir o assunto. como se trata do totó que nem deve saber bem do que é que está a falar, não há discussão possivel....


já agora, e sabendo do que falo, devo dizer que não só aprendi muito com muita gente, como fiz alguns bons amigos. reais, a partir do virtual.

Cristina disse...

"Não é possível entabular contactos relevantes e válidos com desconhecidos"


é seguramente um problema dele. que anormal...

dalloway disse...

O que será que dirá este senhor, por exemplo, se souber que o chamado Cristianismo Tecnológico já é uma realidade em Portugal e no mundo, onde a igreja está a recorrer ao youtube e a redes socias para atrair fieis?!

* não li nem vou ler o resto do texto. tenho dito :)