16 julho 2009

um visitante inesperado e muuito feio


9 comentários:

dalloway disse...

cruzes credo canhoto
(três Cs)

Pêndulo disse...

Coitadinho. Já tentei salvar um ferido mas acabou por morrer. Tive pena porque gostava do bichinho embora ele me tenha mordido.

Manel disse...

Tenho hospedes desses e outros na minha casa do Escoural, onde vivo.
Numa aldeia é normal essa fauna e é um indicador de qualidade na biodiversidade, a sua visita.

Animal disse...

e comem mosquitos e melgas. podia-se arranjar uns mais pró grandote e soltá-los em S.Bento...

Cristina disse...

P

ahhh, já entendi!, sabes que o morcego transmite raiva?? :)))

Cristina disse...

Animal

era preciso uns que comessem lesmas e sanguessugas...

Cristina disse...

dalloway

credo, MESMO!

Cristina disse...

Manel
mas é assustador. tenho uma amiga a quem entrou um em casa e que começou a gritar e a dizer "está aqui uma borboleta com orelhaaaaaaaaaas!!!


:))))))))))

e-ko disse...

olá Cristina!

vim ver o que acrescentavas ao que aqui já disseste e discutimos sobre a questão dos gays e das dádivas de sangue e fui lendo os postes e abrindo as caixas de comentários.

é curioso que o Manel diga que a presença de morcegos seja uma garantia de biodiversidade... moro num andar dum bairro populoso da linha de Sintra e saio com o meu amigo canino, por vezes já depois da meia noite, e num espaço em que devia ter sido construido mais um ou dois prédios como os que já lá estão há trinta anos, a natureza retomou os seus direitos ao lado dum largo onde durante três décadas cresceu uma dezena de árvores e mais uns tantos arbustos... e, imaginem, este lugar está povoado por morcegos que começam a voar por ali mal a noite cai e depois da meia noita, quando já há menos luz e confusão é vê-los nos seus balets nocturnos. se é sinal de riqueza da biodiversidade naquele paraíso de betão, fico muito feliz!

beijinhos