14 julho 2009

de facto estamos cada vez mais parecidos com Suiça, onde em qualquer loja ou restaurante há um portugês a atender.


Do Público:
Os brasileiros, os ucranianos, os moldavos (eram 14.053 e são 21.141) e outros estrangeiros estão a sair da clandestinidade.
Não é ilusória a sensação de que o sotaque brasileiro alastrou. Os brasileiros com permanência regular passaram de 66.354 em 2007 para 106.961 em 2008: "O fenómeno vinha a desenhar-se desde o início do presente século, através de um crescimento forte e contínuo desta comunidade."
A Ucrânia ascendeu ao segundo lugar, com 52.495 residentes (no ano anterior somava 39.480).
O que pesou mais? As disposições legais que convertem "todos os tipos de vistos de longa duração e autorização de permanência em autorização de residência". E, claro, "a emissão de autorizações de residência ao abrigo do regime excepcional previsto no artigo 88". Com a nova redacção do artigo relativo a autorização de residência para exercício de actividade profissional subordinada, deixou de ser obrigatório ter um contrato registado na Inspecção-Geral de Trabalho. Basta ter uma relação laboral comprovada por sindicato, por associação com assento no Conselho Consultivo ou pela Inspecção-Geral do Trabalho.
.
Sobre este assunto, um relatório que foi elaborado pelo departamento dos Assuntos Económicos e Sociais da ONU, afirma que não existe uma baixa significativa dos ordenados, nem das taxas de emprego entre a população do país de acolhimento.
Por outro lado, os imigrantes fazem subir a procura de bens e serviços, contribuem para o aumento do produto interno bruto e para os cofres do Estado, mais do que aquilo que recebem de retorno, acrescenta o relatório.
Quanto aos países de origem podem, se adoptarem políticas correctas, ressalva, podem maximizar os benefícios das remessas enviadas pelos emigrantes. Os residentes no estrangeiro são ainda "grandes investidores" nos seus países.
.
Ganham eles, ganhamos nós, ganha o país....

2 comentários:

francis disse...

se fores à costa da caparica, salvo as diferenças óbvias, parece que está em copacabana.

dalloway disse...

Et voilà!