18 março 2009

eis o triunfo inquestionável de desviar com maestria o foco do verdadeiro enredo


«Não se pode resolver (o problema da sida) com a distribuição de preservativos», disse o Papa aos jornalistas a bordo do avião da Alitália que o levará até Yaounde, nos Camarões. Acrescentou que, «pelo contrário, a sua utilização agrava o problema».

Assim fala o chefe dos católicos, num continente como África, onde a Sida tem um impacto devastador. Onde milhões de pessoas já morreram vitimas da doença. Um discurso medonho à luz da ciência, do bom senso e daquilo que é a realidade das relações humanas e do obrigatório respeito pela saúde do próximo. Um discurso desadequado, irresponsável desumano e assassino.
Eu só não percebo como é que ainda nenhuma organização internacional processou a igreja católica por incitação ao homicídio por negligência.... sim, porque quem defende relações sexuais sem preservativo em África esperando que cada pessoa tenha um só e único parceiro para a vida ou que as não tenha de todo, ou é parvo, ou acha que a morte é um castigo justo. E eu não tenho o Papa por parvo...... Logo, na realidade, só vejo uma solução:
Primeiro, a proibição total da divulgação de declarações deste senhor sobre assuntos de saúde, nos meios de comunicação, em países que prezem a luta contra esta praga terrível e, principalmente, em países onde a grande maioria da população não tem instrução suficiente para "se defender" deste tipo de "instruções".
Segundo, a forte penalização, precisamente, de quem sabendo que está doente, não actue de forma a preservar a saúde dos parceiros.

19 comentários:

Animal disse...

cá pra mim o gajo está a ver se arranja forma de acabar com os pretos duma vez por todas sem ter de recorrer à "solução final" do seu conterrâneo adolfo.

Cristina disse...

bruxo....

Manel disse...

O sr. Joseph Ratzinger é mesmo uma aberração intelectual.

Um especialista em promover santos concorrentes com as melhores técnicas médicas da actualidade, como o tal santo Nuno Pereira.
Vale pela caricatura.

Cristina,
Tu, como técnica em medicina, deverás estar atenta, ou atinto, com essa nova concorência criada pelo BXVI.

Um beijinho solidário e engenheiral do
Manel

Os amigos são para as ocasiões, e os engenheiros ainda não têm a concorrência de santos e santinhas, até que o BXVI não se lembre de tal, pois Santos só o bastonário.

Carminda Pinho disse...

Devia ser preso, por tentativa de extermínio.
A bem dizer, para que serve um papa?

Daniel Silva disse...

são umas atrás das outras, mas sem o querer defender, repare-se o que aconteceu com o bispo que praticamente negava o holocausto nazi, e só depois o Papa veio a saber dos seus pensamentos pseudo_historicos e nao aceitou as desculpas que o bispo fez ao vaticano porque as não fez ao mundo em geral e aos judeus em particular.

Este Papa sofre de alguma ingenuidade. Também nao podemos querer dele a perfeição. Tem responsabilidades acrescidas mas também na universidade de Ratisbona foi (muito) mal interpretado. Falava como um académico no meio de outros tantos e depois a comunicação social empola apenas o que lhe interessa e veste as palavras no papa e nao apenas ho homem e teólogo que também é.

Sobre este caso dos preservativos, eu penso que ele se referia ao mal em si, ou seja, não é o mal em si que lhe aflige, porque ele existe se concorrermos para ele. Ele segue a apenas a posição oficial da Igreja (que não é completamente dogmatica, atenção, estamos a falar de normaos gerais, tal como no aborto é admitido pelo Vaticano (Direito canónico)nas mesmas circunstancias da Direito Civil.

Ou seja, eu penso que ele se esquece do problema africano onde a disseminação da Sida é qualquer coisa de perturbante, mas continua ainsistir no efeito e nao na causa (que tem a sua logica mas nao neste continente em particular), e que é, evitem promiscuidades, evitem parceiros a rodos, sejam monogâmicos que a Sida nunca vos atingirá... Porque a Sida nao é o cancro que pode apanhar qualquer um.

Foram palavras infelizes, estas do Papa, mas penso que percebi a ingenuidade porque vê o problema apenas na perspectiva de que se se fica doente é porque se tem comportamentos de risco e falta de valores, o que é inadmissivel à luz da Igreja.

Melancia disse...

nem mais!

dalloway disse...

Eu só sei que por andar acelerada e não ter tempo necessário para as coisas fundamentais, perdi a oportunidade de felicitar a artista por mais um aniversário. Espero que ainda esteja a funcionar o departamento de recepção de mimos, carinhos e coisas afins. Nesta altura o que me safa é que não preciso tirar senha para conseguir chegar a si.
Pronto pronto Cristina, está mais velha mas sei que sua sensibilidade, assertividade e poesia fazem de nós pessoas melhores.

FELIZ ANIVERSARIO

Um grande beijo e um abraço apertaaado
*com juros e todas aquelas taxas que fazem aumentar o valor real da coisa

Cristina disse...

Manel

com este homem, só apetece estar atinto. pra esquecer que ele existe

beijos

Cristina disse...

Carminda

podes crer! quem é que responsabiliza este individuo pelas consequencias sofridas por quem seguir esta imposição da igreja??

completamente impune.

Cristina disse...

Daniel

nenhuma teologia, ou ideologia, ou la o que queiras chamar desculpa orientações suicidas. vejo-o como as loucuras cometidas por qualquer ceita. esta ou outra, e que põem em risco a vida de terceiros. para mim ´´e tão simples como isto, visto que não consigo sentir qualquer apelo mistico para a religião.

é estranho essa coisa de não admitir comportamentos de risco, ou pecados, uma vez que até têm castigos para quem os confessa. logo, admitem que as pessoas não são perfeitas.

sendo assim, pergunto: porquê condená-las à morte??

Cristina disse...

melancia

cumps cá da casa :)

Cristina disse...

Dalloway

o departamento de recepçãp de mimos funciona todo o ano :))

Obrigada. não importa quando se vem, importa que se venha com vontade. ;) a minha amiga o que tem feito??

Daniel Silva disse...

Como disse, condeno veementemente a atitude papal; apenas tentei perceber porque disse o homem aquilo.

Fado Alexandrino disse...

Os valores de Bento XVI não são os valores de um governo, de uma ONG ou de um indivíduo que tenta limitar o imenso desastre da sida em África. São valores de outra ordem. São valores de uma ordem religiosa, que cada vez menos se percebem ou respeitam no Ocidente. Não vale por isso a pena discutir a moral sexual da Igreja (e do Papa). Vale a pena garantir que ela não invade a esfera da liberdade civil. Ora Ratzinger não andou por África a pedir que se proibisse o preservativo. Pediu aos católicos que prescindissem dele, em nome de uma perfeição que os católicos escolheram procurar. A influência dele é, neste capítulo, deletéria? Inegavelmente. Convém que ela não alastre em África (e na Europa)? Sem a menor dúvida. Mas sem esquecer que o Papa está no seu direito e no seu papel.
Vasco Polido Valente hoje no Público


Convido também as pessoas a pensarem no tamanho do destaque dado pelo jornal à notícia de hoje em que o Papa condena a rapina a que África é submetida nas suas riquezas naturais, e o destaque dado a esta notícia.

e-ko disse...

tendo em conta que para a ala mais conservadora da ICAR a sida é um castigo divino para quem não respeita a doutrina... o papa é coerente. uma coerência numa visão distorcida que tem sobre os humanos e as suas relações humanas... seria bom que fossem perfeitos. se não são perfeitos que morram, porque até há no seio da igreja quem os ajude a morrer e esses sim ganham o reino dos céus e, com uma certa insistência, ainda são santificados...

se deus existe, e se deus é amor e perdão como essa mesma icar apregoa, não deve estar muito satisfeito com as longas condenações em vida de milhares de humanos, que nem a justiça imperfeita dos homens assim castiga, antes que ele próprio possa aplicar a sua tão divina pena.

o papa critica a actuação humana em África quanto à rapina das riquezas naturais... é o mínimo que pode fazer, quando o Vaticano também investe e deposita os seus milhares em entidades bancárias criminosas... mas, isso, é segredo de estado!

dalloway disse...

:))

Trabalho, trabalho, trabalho e mais trabalho... É isto que tenho feito artista. O resto compro já feito! Mas convenhamos que o facto de estar para além de cansada por excesso de trabalho isso torna-me, nos dias de hoje, uma privilegiada por conseguir manter o emprego. Mais privilegiada por estar bem de saude e textos como aquele que a Cristina escreveu e que o Fado disse "Texto fabuloso. Pena que não seja ficção" relembra-nos que a vida é realmente um sopro...até quando nos divertimos as coisas podem tornar-se inusitadas como o caso de Natasha Richardson. Por isso o melhor que temos a fazer é viver e sentir a vida da melhor forma que soubermos e o facto de termos a oportunidade, por exemplo, de felicitar alguém que festeja mais um aniversário... é por si só uma alegria.

Cansada mas bem.

O Viajante do Espaço disse...

Olá

A minha opinião acerca deste Papa é a seguinte: Vive num mundo completamente fora da realidade, tem tudo sem nunca ter lutado por nada, e por causa dele a igreja está a ficar com uma imagem muito negra. Acerca da SIDA / Preservativos, nãos sei porque desta admiração, quando no catequismo da igreja católica está escrito que a propria igreja é contra todos os métodos não naturais. O problema não é só do Papa mas tambem da instituição "Igreja Católica". O Papa tem que seguir os seus principios.
Agora que nessa isntituição está quse tudo errado, atrasado, fanatizado, está.
Como é logico quase ninguem liga ao que o Papa diz acerca deste tema. Só seguem os padres e as freiras, e uma percentagem muito mas muito pequena de católicos. A comunicaçao social dá muito relevo e muita importancia a essas frase do Papa.
Em africa o papel cabe aos governos, ás organizaçoes da ONU, as OMG's de darem persevativos e conselhos às populações de como evitar a SIDA. As igrejas locais devem sofrer sanções se se meterem em temas que não lhes dizem respeito (temas médicos).

Abraço

Paulo Almeida

Fado Alexandrino disse...

Como é logico quase ninguem liga ao que o Papa diz acerca deste tema.

Olhe que folheando os jornais, lendo os blogs, vendo televisão e ouvindo rádio, eu diria que a sua análise peca (lá está a palavra) por redutora.
A não ser que viva em Marte.

O Viajante do Espaço disse...

Não é asim tão redutora. Quantas pessoas deixaram de usar perservativos só porque o Papa disse para nao usarem? A comunicação social é uma coisa à parte, tem que vender. Mas o cumum dos mortais não vai deixar de fazer uma coisa só porque o Papa o disse. Dai a minha frase.

Não moro em Marte mas gostava de lá ir :)

Paulo Almeida