20 fevereiro 2009

Quem é esta mulher, afinal?


Maria da Concepción Balboa Buika é uma das mais interessantes e surpreendentes vozes espanholas dos últimos tempos.

Nascida em Palma de Maiorca, onde se estabeleceu a sua família originária da Guiné Equatorial, cresceu entre povo cigano. "Mi padre era un activista político y lo buscaban para cargárselo. Era maestro y escribía cosas revolucionarias. En 1976, primero vino él y, cuando se sintió seguro, se trajo a mi madre, que ya tenía dos nenes. Aquí, en Mallorca, nací yo (...)Era profesor de matemáticas y trabajaba en un banco, pero sobre todo era escritor, poeta y novelista. En mi casa estuvimos educados con unas presiones muy bestias, políticas y religiosas, porque por un lado estaba mi padre, pero por otro estaba mi madre, con su fe, que también se fue a los extremos. Cuando mi papá se marchó, desapareció, ella se dedicó a la limpieza y así levantó a la familia.

Foi em Palma de Maiorca que Buika se iniciou no mundo da música, cantando em clubes de jazz e em bares. A sua música, uma mistura de flamenco, soul, jazz e funk, rapidamente chamou a atenção pela originalidade intensidade e emoção que imprime às suas interpretações; no entanto, sua carreira musical começou oficialmente quando foi convidada para um concerto de Pat Metheny. A partir desse momento, participou em várias projectos, como “Ombra” dos La Furia Dels Baus, e a banda sonora espanhola do filme “Km.O”.

De Novembro de 2000 a Março de 2001, contou no The Luxor, Harrah's, e Gold Coast , casinos de Las Vegas.

Mudou-se entretanto para Madrid e em 2005 lançou “Buika”, o seu primeiro trabalho, que obteve já alguma visibilidade. Foi no entanto com o seu segundo álbum “Mi Niña Lola”, cujo tema com o mesmo título já por aqui passou, que Concha alcançou finalmente o reconhecimento internacional, arrecadando prémios e participando em grandes festivais, onde deixou a crítica e o público rendidos.

Mas como é ela?

Em entrevista ao El Pais em Agosto de 2006 definiu-se assim: "Yo soy bisexual, trifásica y tridimensional." , En mí, hay tres mujeres muy marcadas, diz a artista que faz da sua "tripla personalidade" a melhor arma para enfrentar a vida e superar a dor. Tem o braço esquerdo tatuado com palavras e nomes que lhe trazem sorte, com uma caligrafia primorosa de bordado “petit point”.

Tão à vontade como se estivesse em casa e sempre com um sorriso no rosto, Buika apresenta agora o seu terceiro álbum “Niña de Fuego”, nomeado para o Latin Grammy Award for Album of the Year, fabuloso trabalho, de onde retirei "volver volver" para vós.

Com este álbum, Buika desnuda-se por dentro e por fora num rol de letras que falam de amor, mas, sobretudo, de desamor. "La gente le tiene mucho miedo al desamor pero para mí ha sido uno de mis grandes aliados, porque ha sido el paso para enamorarme de mí misma."
O álbum é lindo de morrer e tem momentos absolutamente divinos. Faz-me lembrar momentos que nunca vivi....

Espero que gostem tanto quanto eu.

16 comentários:

antonio boronha disse...

Yo soy bisexual, trifásica y tridimensional."...e doutro planeta!
pqp!...
amanhã tou na abertura da fnac.
bfs
bjo

Anónimo disse...

Há já algum tempo, sem conhecer a historia, dei uma ouvidela a proposito do volver de Pedro Almodovar e fiquei impressionado. Uma voz poderosa e delicada, vou usar novamente.

Bjs.

Tino

dalloway disse...

A Cristina é realmente encantadora.

Já agora tente a "Edición limitada de Niña de Fuego" onde encontrará dois cds. O primeiro cd "Niña de fuego" e o outro "Aquí hay amor" onde está incluindo "la bohemia (la bohéme)" entre outras experiências. Vale a pena até porque vem acompanhado de "poemario & fotos". Poemas de Buika e fotos tiradas por ela onde a personagem principal é ela.
Depois disto só fala a Cristina vê-la em palco porque Buika é uma experiência enriquecedora.
Gostei da sua frase "Faz-me lembrar momentos que nunca vivi..." mas vê-la ao vivo esses momentos parecerão muito seus...emocionalmente seus.

dalloway disse...

Tino,
o Volver que se ouve no filme de Almodovar é cantado por Estrella Morente (cantora essencialmente de flamengo mas também fandango, bulerias e outras coisas que merecem a pena serem conhecidas por essa voz) e não por Buika.

Cristina disse...

Dalloway

Já cá está em casa há uns dias, achava que me escapava?? :P foi precisamente daí que retirei esta musica.
as fotos são muito bonitas. e atrevidas..:))

gostaria muito de a ver, sim. provavelmente ainda cá virá muitas vezes. assim espero.



beijos, guapa. já se mascarou??
tenho um convite para um baile de máscaras hoje à noite em Colares mas ainda não sei se vou. já ando demasiado mascarada , ultimamente.

Cristina disse...

António

força, não percas mesmo.

beijinhos

Fado Alexandrino disse...

Vou mandar "vir".
Por acaso também coloquei há bocadinho uma outra voz poderosa na minha tasca.

Sofia Loureiro dos Santos disse...

É excelente, Cristina. Também sou fã.

Anónimo disse...

Dalloway,
Os seus comentários são muito bons, parabéns!
Não me equivoquei no tema e gosto das duas.

Agora sobre um tema ou um poema, não estou certo e preciso de uma dica. Trata-se do filme White Nigts.O reencontro do bailarino com a sua professora (Helen Mirren). A cena passa-se numa sala com piso de madeira e ele dança descalço - Musicaram essa cena com uma voz masculina rouca, em lingua russa.
Penso que não aparece nos temas da banda sonora!

Bjs.

Tino

dalloway disse...

Tino,
O bailarino de que fala não é mais nem menos que Mikhail Baryshinikov e a cena que ele dança para a professora é de tirar a respiração de tão forte e intensa.
A música chama-se "Koni Priviredlivije", em inglês - "Fastidious Horses" e foi composta e cantada por um compositor russo muito importante 'para aquelas bandas' de seu nome Vladimir Visotskiy.
E mais não digo :)

dalloway disse...

Cristina,
Imagino que perolas destas dificilmente escapam à sua encantadora sensibilidade por isso não fiquei admirada em saber que tem esta edição.
Se já me mascarei? Bem, pelos vistos
estamos em dupla sintonia porque também ando demasiado mascarada, ultimamente.
Beijo na ponta do nariz

Cristina disse...

só falta mesmo isto

Cristina disse...

Dalloway

sempre fui ao baile de máscaras, mas qual cinderela, enfim...aqui estou.

já sem maquilhagem e meio angustiada. amanhã mascaro-me outra vez. :)

beijos princesa. bom fim de semana

Raimundo Narciso disse...

A voz é de arrepios. Linda. A voz e o resto. Vou-me ao CD. Obrigado pela apresentação.

Anónimo disse...

Extraordinario!
Vocês são mesmo boas!
Duplamente obrigado.

Bjs.
Tino

Melancia disse...

eu fiquei fã de buika, quando uma grande amiga colocou um you tube no blog dela!
altamente recomendado!