05 fevereiro 2009

este país está cheio de talentos..


Devo confessar que quanto mais notícias leio sobre a alegada "Faculdade de Medicina" do Algarve, mais arrepiada fico. Uma coisa é certa: é das poucas questões em que concordo em absoluto com a Ordem dos Médicos, ou seja: Em relação à exigência de uma licenciatura prévia, o que é que isso tem a ver com Medicina em que é que isso serve de critério de selecção para entrar em Medicina ?? Porque é que um tipo que faz uma licenciatura não se sabe bem em quê, se considera apto a saltar uma data de degraus na aprendizagem da medicina? Isto parecer-vos-ia natural num curso de Direito, por exemplo? Tem uma licenciatura, entra para um curso de 4 anos e começa logo no primeiro a assistir a julgamentos e a analisar processos. Isto faz algum sentido?? Irreal...

Diz ainda Pedro Nunes, Não vejo qual é a necessidade de se criar uma nova faculdade de Medicina para se meter 30 alunos, que se fossem divididos pelas outras sete faculdades dava uma módica quantia de quatro alunos por faculdade» .. isso também! Num país de 10 ou 11 milhões de habitantes, a população de algumas cidades, há 7 faculdades de Medicina! Sete! Parece-vos necessária a existência de uma escola -até me custa dizer faculdade..- de cursos acelerados?? Nem no Botsuana se lembravam de um disparate deste...Ora se o país precisa de médicos, e precisa, porque é que não se usam as faculdades que existem para formar mais médicos?? Porque é que não baixam as médias de entrada? Não me venham dizer que as que existem são pequeninas e atarracadas...ou que não há docentes... porque se não há para estas não há para a outra.

É tudo muito esquisito. Tresanda a negócio ou a necessidade de fazer alguns médicos à força.....ou melhor, de fazer de alguns, médicos. E depois, a Reitoria enche a boca com a«valorização» por uma Comissão Científica Internacional que avaliou a proposta da UAlg. Que comissão científica?? Sinceramente não me diz nada...é representada por quem? Comissões há-as aos montes para o efeito que se quiser! Será uma coisa à moda do "relatório da OCDE"?? Pela urgência em pôr a faculdade a funcionar num país que não precisa dela, temo bem que seja.
E espero que a Ordem não pactue com mais escândalos no que respeita ao ensino superior. Já basta o que basta.

5 comentários:

once disse...

para mim, leiga no assunto, é no mínimo assustador na eventualidade de vir um dia a ser assistida por esses profissionais ..

pézinhos n' ... areia disse...

ao que isto chegou Cristina.....


http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1364120

Senado italiano quer médicos a denunciar imigrantes ilegais


Os médicos temem que os imigrantes deixem de recorrer aos hospitais

Pêndulo disse...

E medicina por fax?

Explica melhor a coisa. vão dar equivalências de cadeiras de certos cursos a cadeiras do curso de medicina, é só isso? Se for não vejo problema mas desconfio que seja mais. Insplica aí.

Cristina disse...

pezinhos

o que vale, é que geralmente os medicos não alinham nessas coisas..

Cristina disse...

P

não são equivalencias de cadeiras, assumem que um tipo que jatem um curso na área da saude, sei que cursos são, ja tem as noções basicas para avançar logo no primeiro ano(???!!) para cadeiras clinicas...

completamente irreal..