12 dezembro 2008

Nonsense a granel e benevolências self-service!

Almeida Santos concordou com o deputado Guilherme Silva na defesa dos plenários às sexta-feiras e justificou esta decisão com o facto de os deputados terem direito à vida pessoal e, principalmente, à vida profissional .
«Talvez esteja errado é que as votações sejam à sexta-feira, é preciso arranjar horas para a votação que não sejam as horas em que, normalmente, é mais difícil e mais penoso estar na Assembleia da República», considerou.
«No meu tempo não havia votações à sexta-feira, porque já sei que é a véspera do fim-se-semana. Os deputados são humanos, não são máquinas», defendeu.
Para além do fim dos plenários à sexta-feira, o ex-presidente da Assembleia da República defendeu ainda um aumento de salário para os deputados para melhorar a imagem dos mesmos e credibilizar a classe política portuguesa.
Importa-se de repetir????
E.x.t.r.a(ordinário)!!
Quando a ex-Segunda Figura do Estado Português fala assim, esperavam ter que espécie de políticos?? Gente que leve a sério o seu trabalho?? Que respeite quem os elegeu? Ah, que têm vida pessoal, que ganham pouco, que têm mais que fazer....pqp!, então pra que se esforçam tanto pra lá chegar?? coitadas das criaturas.... é muito duro, não?? deve ser....

14 comentários:

mar disse...

eu ós por acaso tb não me dá jeito ter aulas à sexta, e mt menos sexta à tarde... será q tb se pode arranjar uma dispensa?! e se não for pedir muito, a segunda, tb coisa e tal não dá mt jeito, já para não falar na segunda às oito da matina.

e prontes era só

:)******* e bom fim de semana

Cristina disse...

olha pá...eu, nem à sexta, e muito menos ao sábado ou ao domingo!! alem de desumano acho mesmo pouco catolico.....


jinhos, bom fim de semana

Anónimo disse...

Pqp! Essa malta precisava de conhecer a sensação de estar desempregado, ou precisar de cuidados médicos, ou não ter € para ir às putas...

Gostei da escolha da imagem para o post, é chocante.

Tino

immortal disse...

tadinhos pá...
e se eu à sexta fosse lá à escola assinar e depois fosse de fim de semana? eu e toda a gente que estivesse fora da terra ou tivesse planeado um fim de semana fora cá dentro...desde que tivesse euritos p isso claro...
sim, precisavam de sentir na pele o sufoco de meio país

anrafel disse...

"Deputado também é gente", diria um ex-ministro brasileiro.

Cristina,

PD postou sobre a Revolução dos Cravos. Não é aniversário, não tem figurão português visitando o Brasil, mas tá lá. E o debate tá bom.

Eric Blair disse...

e às segunda? À segunda também me parece mal. Como diz o Animal: nós não merecemos um governo tão bom.

Octavio disse...

Não admira termos o país como temos, isto explica muita coisa!!!

Sinto-me um ET!!!!

Beijo GRANDE...madrinha!:)

Cristina disse...

olha quem cá está! Octavio!!epá, que bom saber de ti :)))
sentes-te um ET, eu sinto-me otária..
uma grande beijoca

Cristina disse...

Tino

esta gente precisava era de ter vergonha na cara, acho eu.

beijinhos

Cristina disse...

immortal


e eu, e eu. então ao fim de semana, que vontade de lá chegar e dar-me assim uma indisposição subita...

canalhas estes, xiça...já não ha cu.

Cristina disse...

Eric

era à quarta e só! sempre fica mais afastado do fim de semana....

Pézinhos N' Areia disse...

Cara Cristina,pela importância e gravidade de que se reveste o assunto, faço questão que tome conhecimento desta notícia, bem como peço que veja os videos incluídos na notícia, com os depoimentos de:

- Dra. Ana Teresa Monteiro Leite Xavier, Médica da Unidade de Oncologia do Hospital Nossa Senhora do Rosário, no Barreiro;

- Dr. Jorge Espírito Santo, Médico e Director da Unidade de Oncologia do Hospital Nossa Senhora do Rosário, no Barreiro


A notícia:

http://www.rostos.pt/inicio2.asp?cronica=81309&mostra=2


Câmara Municipal do Barreiro acusa Ministério da Saúde de usar “poder discricionário” e ”poder arbitrário”



agradeço a amabilidade da sua atenção




Pela nossa rica saúde, que se acabe com esta prepotência do Poder Central sobre o Poder Local

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Faço minhas as tuas palavras.

Cristina disse...

pezinhos

eu, de facto, não vejo oonde se possa fazer desse assunto um drama. isto é: a câmara nomeia, muito bem. o ministério diz que não quer como nomeado um funcionario da instituição, quer um externo. não rejeita a pessoa em si. qual é o problema da câmara em relação a uma escolha externa à instituição? isto parece-me uma daquelas situações de embirração em que ja se está a tentar arranjar um drama politico onde se calhar têm assuntos mais graves e importantes a resolver. ou será que não têm?