19 dezembro 2008

em poucos dias, duas vidas que deram filmes

figuras inspiradoras do cinema

Morreu nesta quinta-feira o ex-agente do FBI Mark Felt, que ficou conhecido como "Garganta Profunda" --fonte secreta que passou a jornalistas do "Washington Post" informações que levaram à renúncia do presidente Richard Nixon no escândalo Watergate há 30 anos.
Watergate é um complexo imobiliário em Washington, onde em 1972 o Partido Democrata, que fazia oposição ao então presidente americano Richard Nixon, mantinha seu comité de campanha presidencial. Neste local, foi encontrado um sistema de escutas supostamente encomendado pela Casa Branca para espiar os adversários. O "Washington Post" investigou o caso até o fim.
O "Garganta Profunda" ficou popular depois do livro "Todos os Homens do Presidente", publicado por Woodward e Bernstein em 1974, que foi transformado em filme em 1976.
Além da própria fonte, apenas outras três pessoas sabiam sua identidade - Bernstein, Woodward e Ben Bradlee, que era editor-executivo do "Post" na época. Segundo a "Vanitiy Fair", até 2002, Felt manteve o segredo até mesmo da família.
Durante muito tempo, os três diziam que preservariam a identidade da fonte até sua morte, mas a promessa foi quebrada após a revelação de Felt.
.
.
Martha von Bulow,
milionária americana cuja se do dia se podia comparar a um conto de fadas, transformou-se num verdadeiro pesadelo até à morte no fim de semana passado..
Encontrada em casa inanimada, ficou 28 anos em coma, um fato misterioso que levou o seu marido a ser processado pelos filhos dela.
Em Dezembro de 1979, poucos dias antes do Natal, Sunny von Bülow sentiu-se mal e entrou em coma pela primeira vez. Foi levada para um hospital nova-iorquino, onde lhe diagnosticaram hipoglicémia, mas conseguiu recuperar. Um ano mais tarde, a 21 de Dezembro de 1980, novamente em vésperas de Natal, Sunny voltou a ser encontrada inconsciente, caída no chão da casa-de-banho da sua mansão em Rhode Island. Nesse dia entrou num coma do qual nunca mais saiu. Ficou definitivamente em coma.
Ao longo desses quase 28 anos Bulow nunca mostrou sinais de actividade cerebral. No entanto, sempre recebeu cuidados excelentes, rodeada de fotos de seus filhos, e vigiada por uma equipe de enfermeiras e, em algumas ocasiões, por agentes de segurança privada, segundo informou o "New York Times".
O escândalo envolveu o seu nome durante os anos do ultra-mediático julgamento em que o seu marido foi acusado de a ter assassinado injectando-lhe insulina (que provoca hipoglicémia), tendo sido primeiro condenado e depois absolvido. A sua vida foi dissecada pela imprensa.
O processo de Claus von Bulow tornou-se nos anos 80 um fenómeno mediático, com um drama tecido pela vida apaixonante da rica herdeira, a acusação do seu marido, e a luta entre os dois filhos mais velhos, pertencentes à realeza européia e a um casamento anterior, e a mais nova, Cosima, que sempre defendeu o pai. Num primeiro julgamento, em 1982, Claus foi considerado culpado de duas tentativas de assassinato e condenado a 30 anos de prisão. Para a apelação escolheu um professor de direito de Harvard, Alan M. Dershowitz, que criou uma equipe com estudantes da universidade e conseguiu reverter a sentença em 1985 e conseguir sua absolvição. Na actualidade, Claus von Bulow -que chegou a um acordo extrajudicial em 1987 com os enteados para se divorciar da mulher e não discutir o caso publicamente- vive em Londres.
O drama inspirou o filme 'O reverso da fortuna' (1990), com Glenn Close no papel de Sunny e Jeremy Irons no de Claus von Bulow.
.
adenda:
A história de Sunny, do Público:
Vale a pena voltar atrás no tempo, ao ano de 1932, e à noite de 1 de Setembro, em que uma criança nasceu num comboio que atravessava o estado norte-americano de Virgínia. Chamaram-lhe Martha Crawford, e, por causa do seu temperamento alegre, ficou mais tarde conhecida como Sunny. Martha era filha do milionário George Crawford, antigo presidente da Columbia Gas and Electric, que tinha 71 anos quando ela nasceu e que morreu quatro anos depois, fazendo da sua filha única a sua herdeira.A infância e juventude de Sunny foram típicas de uma herdeira rica, criada pela ama, pela avó e pela mãe, que entretanto voltara a casar. Frequentou as melhores escolas e as mais animadas festas, para as quais, conta o diário britânico Times, "era transportada em Rolls-Royces, e invariavelmente vestida com roupas de alta-costura". Sunny era muito bonita e era frequente compararem-na a Grace Kelly. Em 1957, com 24 anos, casou com Alfred von Auersperg e instalou-se em Kitzbühl, na Áustria, onde nasceram os seus dois filhos mais velhos, Ala em 1958, e Alexandre no ano seguinte. O casamento durou pouco mais de sete anos. Alfred, tenista profissional, gostava de uma vida muito diferente da da mulher, passava longas temporadas em caçadas em África, e interessava-se demasiado por outras mulheres. O divórcio foi amigável, e o príncipe acabou por receber um milhão de dólares e duas casas. Sunny e os filhos mudaram-se para Nova Iorque. Pouco tempo depois, Sunny iniciou uma relação com Claus von Bülow, que conhecera anos antes em Londres. Claus, explica o New York Times, "não era originalmente nem von nem Bülow". O seu pai era o dinamarquês Svend Borberg, dramaturgo e crítico de teatro, cuja vida atribulada teve um desfecho dramático: depois da II Guerra Mundial foi acusado de colaborar com os nazis e condenado a quatro anos de prisão, dos quais cumpriu 18 meses. Morreu pouco depois de recuperar a liberdade. O jovem Claus cresceu com a mãe e o avô materno, Fritz Bülow, e adoptou o nome deste, acrescentando-lhe o sonante "von". Claus von Bülow era charmoso, sabia mover-se nos círculos certos e conquistara a confiança de um dos homens mais ricos do mundo, J. Paul Getty Sr., que, segundo o Telegraph, chegou a descrevê-lo na autobiografia como o seu "braço direito". O novo marido de Sunny era também um amante de festas - ao contrário da mulher. Em 1967, o casal despediu-se de Londres com um "baile sumptuoso" (na expressão do Telegraph) na casa de solteiro de Claus, em Belgrave Square, e instalou-se na Quinta Avenida, em Nova Iorque. Seringas e insulinaTudo era beleza, dinheiro e glamour na vida dos Von Bülow, mas Sunny continuava a preferir ficar em casa, com os filhos, do que manter a vida social de que o marido tanto gostava. O casal foi-se afastando e, segundo os muitos rumores que correram na época, Sunny começou a criar uma dependência do álcool e dos medicamentos. Quando foi encontrada em coma pela segunda vez, em Dezembro de 1980, Sunny era já uma mulher profundamente infeliz, que se tinha afastado de todos os amigos e vivia fechada e casa. Além disso, não era segredo em Nova Iorque que Claus mantinha um romance com a actriz Alexandra Isles. Quando o caso chegou ao tribunal, a acusação sugeriu que ao, supostamente, tentar assassinar a mulher, Claus estaria a tentar herdar a fortuna dela e ficar livre para casar com Isles. Por detrás desta acusação estavam os dois filhos do primeiro casamento de Sunny, que a partir daí se afastaram completamente do padrasto e da meia-irmã, Cosima, que se manteve sempre ao lado do pai.

Sem comentários: