09 dezembro 2008

cada vez mais "sem"



«Estamos em período de ruptura. Estamos em pânico. Isto está absolutamente à deriva. No fim-de-semana passado tivemos de recorrer a médicos de excepção que não estavam escalados», lamentou hoje o especialista em Medicina Interna, Armindo Figueiredo, em declarações à Lusa.
«Está pior que no ano passado. Isto está absolutamente a bater no fundo. Está inacreditável»

Como vos compreendo, companheiros. Caos total. Milhares de doentes sem médico assistente nos centros de saúde, doentes com médico assistente sem possibilidade de marcar consultas, Centros da Saúde sem atendimento de urgência e a possibilidade de chegar a um médico a assentar basicamente nas urgências hospitalares. E a bloquear as verdadeiras emergências. Aqui como em Faro, a afluência está a aumentar tremendamente em relação ao ano passado, obrigando a um esforço dos profissionais de saúde que começa a fazer temer o descontrolo total.

No último banco, conheci uma expressão nova. Quando perguntava a uma doente pelo médico de família disse-me que estava na lista dos "sem médico". Fantástico, até aqui existiam os rotulados "sem abrigo", os "sem família", agora existem também os "sem médico". Ou melhor, sempre existiram, a lista está é cada vez maior....

20 comentários:

margarida disse...

E há também os médicos de família que deixam de atender os seus doentes e vão fazer umas horas de banco num qualquer hospital onde são muito bem pagos. Aliás, ganham dos dois lados e com a conivência dos directores dos centros de saúde.

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Por isso é que as urgências transbordam, são caóticas e fazem perigar os doentes verdadeiramente urgentes ou emergentes. Enquanto a porta de entrada para o sistema de saúde for o hospital e não os centros de saúde. Mas não há Médicos de Família.

Fado Alexandrino disse...

Gostaria de contar o meu caso pessoal.

Tenho médica de família que aliás é excelente, e a minha unidade de saúde funciona exemplarmente e ninguém precisa de se levantar às cinco da manhã para marcar consulta que, vejam lá, até se pode fazer pelo telefone.
Já agora é a Rodrigues Migueis em Benfica.

Este problema nos Hospitais é tremendo por uma razão muito simples.
Uma vez que não se pode culpar o Bush, nem com muito boa vontade, tem que haver um culpado português.
Quem é que podemos empurrar para dentro da fotografia?

dalloway disse...

O meu caso é "igual" ao do Fado quer no que se refere à médica de família quer ao centro de saúde.
O mais aflitivo disto é perceber que o Fado, eu e poucas pessoas mais são tidas como privilegiadas quando isto deveria ser tão natural como a nossa sede!

Melancia disse...

Pois é cara Cristina!
Eu com 35 passei para a lista dos 'sem médico' aos 17! e ainda me dizem, lá no posto: 'ainda na semana passada esteve lista aberta para escolha de médico'; e eu escolho o quê? o Dr. Fagundes, ou o Dr. Pereira?!?! não os conheço de lado nenhum... sou obrigada a ir escolher o quê, valha-me Deus? um nome? atribuam-me um médico e ficamos todos contentes! é só! tenho ainda a acrescentar que, num hospital da nossa praça, levei um 'raspanete' de um administrativo porque:"A SENHORA NÃO SABE QUE É OBRIGADA A TER MÉDICO DE FAMÍLIA?" isto dito em tom de voz uns decibeis acima do recomendado! muito sinceramente, nem respondi, porque já me fartei da saga que tenho passado sobre o assunto...
Melancia

Desinformador disse...

Também existem os "Sem terra"...

Eu estou mais na lista dos "Sem paciência", este fim de semana prolongado estive por Portugal, e passei-me com demasiadas coisas, em especial com a indiferença que parece que se apoderou de quase toda a gente!

Continuo sem perceber como é que a Sociedade Civil continua a aceitar, diferenças de 20% no combustível, em comparação com Espanha.

No sábado de manhã, antes de entrar em Portugal por Vilar Formoso, parei para atestar na última bomba espanhola, a 50 metros de Portugal, 88 centimos por litro de diesel.

No Domingo à tarde tive de voltar a abastecer, 1€ e 2 cêntimos, foi o que paguei numa bomba na Serra da Estrela... ou será que se estão a aproveitar da neve e dos turistas?

Mais do que greves e manifestações, nós que elegemos democraticamente quem nos governa, devíamos promover uma revolução.

Outro exemplo prático, o comércio espanhol, com medo da crise, está em sectores que sabem estar a chegar à sua época alta, estão a baixar os preços em quase 40%, e estou a falar em peixarias e talhos, que para vender o mesmo volume de carne, peixe e marisco, estão a reduzir os seus lucros para assim continuarem a garantir que há festa numa altura festiva.

Em Portugal opta-se pela estratégia contrária, há crise, vendemos menos, aumentamos os preços para mantermos o lucro comparativamente a anos anteriores!

Enfim, como disse, estou "sem paciência!"

Desinformador disse...

Há pouco tempo tive uma dor de dentes. Seguro médico, urgências, dentista indicado e tudo resolvido.

Isto quando estava em Lisboa em trabalho no início de Novembro. No final da consulta, "leva esta receita para uns analgésicos, e levanta na famárcia que há aqui na Infante Santo", ok, obrigado, respondi eu.

Farmácia, 10 minutos à espera, porque está uma lista de espera para medicamentos para o canário, o gato e o piriquito... e pelo meio ainda há conversas sobre a novela da TVI da noite anterior... já estava atrasado para uma reunião, e decidi ir a outra farmácia quando pudesse...

a anestesia passou, e as dores voltaram. Entro na farmácia mais próxima que estava em serviço.

Boa noite, isto é um bocado forte; as dores também são respondo; genérico ou esta marca; sei lá! qualquer um; cartão de saúde perguntam-me; sei lá, não tenho!; não tem? mas tem de ter!; não tenho, pague o medicamento para que possa ir embora; mas assim não entra no IRS; olha-me este agora, preocupado com os meus impostos! Não tem problema, os meus impostos são pagos em Espanha; ah... então é 1 de 8 em 8 horas; ok brigado e boa noite... só faltava perguntar se tinha médico de família!

Raio de mania que quererem saber o que não precisam!

Mocho Falante disse...

ora viva

pois eu sou um sem médico faz anos, acho que desde que saí de casa de mamãe...por isso há 20 anos que não sei o que é ter médico de familia...enfim é o país que temos

beijos

Cristina disse...

margarida

os medicos de familia que conheço a fazer bancos têm os seus horarios cumpridos nos centros de saude. além disso, podem trabalhar onde quiserem. o que acontece, é que se têm sitios melhores onde fazer horas extraordinarias, não se disponibilizam para fazer mais horas no CS alem das do contrato.
isso só se resolve com mais medicos nos quadros, que não existem.

por exemplo: uma das medicas que faz banco comigo, pertence a uma unidade de saude familiar que tem 30000 utentes e 3 medicos do quadro...(!!)
estes, não são obrigados a trabalhar la mais tempo que o do seu contrato. tão simples como isso. é a lei do mercado.

Cristina disse...

Sofia

exactamente. esta linha então, é uma desgraça...

Cristina disse...

Fado

mas os centros de saúde de Lisboa estão às moscas! Onde é que a população de Lisboa enche isso tudo? Essa gente que por aí circula, não mora lá. eu sei de pessoas que vivem em Lisboa que dizem o mesmo, mas isso não é a realidade do resto do país. ja experimentaste pedir medico na zona de residencia?? ias-te rir...

Cristina disse...

dalloway

nem mais. e são mesmo.

Cristina disse...

Melancia

é melhor ficar atenta a esses periodos em que se pode fixar a um medico. escolha um qualquer. já não é mau...

Cristina disse...

Desi

eu fico espantada é como é que os governos espanhóis têm sempre medidas ajustadas às necessidades enquanto nós o que mais temos é noticias de vigarices e de politicos desonestos. deve ter alguma coisa a ver...

Cristina disse...

Mocho

espero que também não saibas ha 20 anos o que é ter uma doença...:))

Melancia disse...

Cristina,
e não seria melhor, em vez da invariável resposta 'havia lista aberta a semana passada, esta semana já não há...' (é que já ouço isto à anos), responderem 'foi-lhe atribuido o Dr. XPTO?', :)
é que para escolher nome bastou a escolha do da minha filha... :D

Melancia

Cristina disse...

sem duvida

bastava telefonar ao seguintes da lista e dizer "continua interessado? então, vai ser doente do DrX." pronto

Dinada disse...

Pois Cristina eu, desde que há 2 anos mudei para o C.S. de Alvalade 'obrigada' (estava muito bem no da Alameda mas este governo obrigou-me a tal devido à mudança de morada, coisa que antes não acontecia), juntei-me, com os meus 3 filhos, aos 5.ooo (sim, leste bem) 'sem médicos'.

E não me resolvem a coisa nem por nada...

Tudo porque o meu querido médico na Alameda se reformou :(

Anónimo disse...

Uma estória de província, a minha estória: Fui ao centro de saúde do meu concelho e, como não tenho médico de família, só posso ser atendido às quartas e sextas. Tenho um sinal enorme, bordos irregulares, que mostrei ao médico. Passou-me um pedido de consulta de dermatologia para o Hospital do Barlavento, isto em meados de Outubro. Cerca de um mês depois, recebi uma chamada da secretaria a avisar-me da devolução do pedido porque o médico não tinha dado qualquer indicação sobre o estado do doente. "Ó minha senhora, olhe que eu sei falar e o que disse ao médico posso repetir aí". - "Tenha paciência, mas são instruções da directora do serviço". De novo à consulta do centro de saúde, o médico era outro, e no novo pedido escreveu, depois da descrição do sinal: melanoma (?). Estamos a 11 de Dezembro e talvez vá lá amanhã. Sou optimista e espero que o zêlo da dermatologista não tenha causado nada de irreparável. É a merda de país que temos. Isto não vai lá com o manequim Armani e seus acólitos.

Cristina disse...

DInada

pois é, uma merda. eu sei que é assim, não temos medicos de clinica geral...e muito menos "medicos assistentes"