23 outubro 2008

se ao menos lhe tirasse aquele ar de sopeira...

ora ontem não tive acesso ao mundo a não ser o mundo doente cá da zona, mas vi agora que o escândalo do dia nos states foi o dinheiro gasto pela campanha presidencial do Partido Republicano em roupas para a candidata Sarah Palin e família. Em menos de um mês, a conta foi de mais de 150 mil dólares, nas lojas mais caras do país, como Neiman Marcus, Barneys e Saks Fifth Avenue. Não que ela não precisasse um "makeover" naquele ar de sopeira dos confins do Alasca mas daí a esbanjar mais do que o seu próprio salário ANUAL num punhado de roupas, sapatos e acessórios, deixou os doadores furiosos. A hipocrisia de Sarah Palin e da campanha, que insiste em caracterizá-la como uma mulher do povo, é cada vez mais gritante. Se pensarmos que, por exemplo, um conjuntinho básico e muito decente de Armani, designer luxuoso, é coisa para 2 mil dólares, vá que comprasse "meia dúzia deles"....que sempre são de gosto inquestionável e suficientemente discretos para o efeito, compreende-se... agora ....150 mil dolares??. imagine-se o que foi a festa...coisa de deslumbrada nouveau riche (com a diferença que essa pagaria com o próprio dinheiro).


Para agravar a situação, basta lembrar o sucesso que Michelle Obama fez quando apareceu na TV com um vestido preto e branco da White House/Black Market, que custou 148 dólares. O modelo esgotou-se rapidamente da loja, tamanha a procura depois da esposa de Obama ter aparecido no The View com o vestidinho florido.


Diferenças.....de classe.

11 comentários:

Animal disse...

se aparecessem sem nada vestido é que a campanha animava! agora, com trapos...

immortal disse...

deslumbrada a senhora!!!mas nao deslumbrante :)

dalloway disse...

É sempre interessante ver o que se retira de uma CAMPANHA e isto no sentido mais amplo da palavra!

Esta história dos gastos na roupa não deixa de ser curioso porque ao ser criticado parece que esquecemos que vivemos cada vez mais da imagem e do que ela pode e deve transmitir. Usar a força de uma imagem para ganhar votos, adeptos ou consumidores é cada vez mais estudado e aplicado nos dias de hoje.

Chegar a fazer comparações entre aquilo que foi gasto por Mrs Palin nos últimos meses e fazer comparação pontual com o vestido de Mrs. Obama é falacioso quando posto nesses termos até por Mrs. Michael Omaba tem aparecido com vestidos que de certeza não terão custado os tais 148 dólares (mas a questão não é essa e sim o poder de imagem de uma e de outra e aqui não está implícito a roupa!) E o George Cloony que é o responsável de imagem de Mr Barack Obama!!!
As coisas nunca são tão lineares como parecem

Já percebi. É aceitável gastos exorbitantes desde que sejam pagos através de fortuna pessoal - caso de Mrs McCain - e nunca com dinheiro da campanha. PLEASE!!! Será que a malta já se esqueceu como é que na América se consegue fundos para uma campanha eleitoral?! E que vale tudo menos tirar olhos?!
A única questão aqui é o ....SABER FAZER!!!

(de repente lembrei-me da nova lei de financiamento aos partidos portugueses)

Depois lembro-me de Fátima Felgueiras que está a ser defendida por um advogado que é pago pela própria Camara de Felgueiras...para já não falar do upgrade que a senhora sofreu desde que foi acusada. Já repararam na imagem, a desenvoltura, a assertividade....POVO ADORA!

Anónimo disse...

Ás vezes és muito mázinha..a gaija até é um bom padaço..claro levanta a crista ás vezes, demasiado quando falou do Huguinho ( o povo venezulano vive muito melhor agora com o chaves, esta é que é a verdade, o resto é contigas)..mas jamais ela e eles chegam aos calcanhares da Hillary..quem vê caras :-)..viram o boneco empalhado quando lhe disseram que a américa era todo um buraco..até meteu dó..espero bem que agora não seja à custa do europeu, o bitelinho francês parece que precisa de pai americano, vamos a ver,porque o durãozitito mesmo com o estenderete do iraque, parece que ainda não aprendeu..

um abraço

intruso

Cristina disse...

animal

acho que está previsto, na ultima semana de campanha :)

Cristina disse...

immortal

deslumbrante não, tem o seu quê de saloia. terá sempre. é como algumas primeiras damas nossas conhecidas...

Cristina disse...

dalloway

pronto, tenho que lhe dar razão. mas repare que até para os americanos que "sabem como funciona" parece excessivo. e é. imagine cá. imagine que se sabia que durante a campanha de um presidente europeu era retirado um valor semelhante para a roupa, por exemplo, da mulher. era o escandalo total.

e claro que a Sra Obama tera trapinhos bem mais caros, mas custa-me a crer que estejam referenciados nos gastos da campanha do marido. alem disso, o facto de não se importar de ir a um programa de mulheres em ambiente descontraido com ele, demonstra um autoconfiança notavel. e a exacta noção do que é a verdadeira elegancia: aquilo que nos fica bem.
coisa que a outra.... este brutal investimento, demonstra claramente isso.


mas nisto tudo, o que me faz impressão é que não faz a menor diferença. a Michele O. terá sempre 100 vezes mais classe que a Palin nem que seja com roupa da Zara. Ou seja, é mesmo o desperdicio total....



a propósito, destas coisas lembro-me sempre de um artigo que comparava Cavaco Silva com Savimbi...:))) (ha muitos anos)

Cristina disse...

intruso

entre as 3, prefiro, de longe, a elegancia de Michele Obama.

dalloway disse...

Desconfio que os gastos referidos só foram tornados (escandalosamente) públicos como forma de descontentamento por parte dos próprios republicanos. A melhor defesa é o ataque! Penso que esta é uma forma velada por parte de muitos dos apoiantes de MacCain de transmitirem que afinal apostaram no cavalo errado. Não é difícil perceber que se MacCain e a sua vice estivessem em alta não se falaria dos excessos cometidos com o dinheiro da campanha.

Claro que Michelle Obama tem carisma e uma imagem muito forte o que por si só garante a não existência de gastos nas contas do marido. Um bom gestor de campanha sabe quais os pontos fracos dos adversários e como realçar os pontos fortes do seu candidato. É também por isto que há pouco referi a importância do saber fazer.

Não me parece ser comparável as campanhas eleitorais americanas e as europeias.Talvez a única coisa comparável seja o trabalho de imagem mas mesmo aqui existem requisitos e posturas que em nada têm em "comum". Lembro-me, por exemplo, na campanha de Miterrand ser-lhe aconselhado que "limasse" os caninos e ele fê-lo.

Quando uma campanha (seja ela de qual for) tem um resultado menos bom é urgente que se arranje um bode expiatório e por este andar não me admira nada se MacCain perder as eleições que muitos serão aqueles que atribuirão parte da sua derrota à Sra Palin.

*pfff....no meu comentário anterior deve ler-se Michelle e Clooney.

Cristina disse...

este vai ser um bode do tamanho de um comboio...mas, convenhamos, quem escolhe uma Palin nem devia ter autorização para se queixar...


mas em termos de imagem e investimento, já se apostassem no candidato, acho que fariam muito bem! porque aquela miseria de cabelo colado com óleo à cabeça, pelamordedeus....

outro lamento. toda a gente "lima" os candidatos menos nós, que ferro! será que não ha por aí terapêutas da fala disponiveis???

dalloway disse...

ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah....

Quando falei de Miterrand fi-lo por ter acontecido há muito tempo e quando a Cristina se refere a terapeutas da fala isso faz-me lembra o trabalho feito com Margareth Thatcher que tinha uma pronuncia pouco aconselhada a um Primeiro Ministro de uma monarquia. Repare, por exemplo, como Gordon Brown inspira nos intervalos de cada frase ou na roupa de Sarkosy que parece ser sempre a mesma e no entanto foi eleito o homem mais bem vestido. Não se brinca em serviço...menos nós ah ah ah ah ah ah ah ah

Quanto ao cabelo colado com óleo a Cristina devia falar com George Clooney....nada como uma grande desculpa para falar com o dito cujo :))