15 outubro 2008

Obama atingiu a margem de "segurança": 10 pontos


Actualização das eleições americanas, como sempre, com os mesmos:


Só para aguçar o apetite....como se não bastasse a diferença abismal entre os dois candidatos, outras desgraças acontecem a McCain:

* O Washington Post divulga hoje que o governo George W. Bush autorizou por escrito o interrogatório e a tortura de prisioneiros pelo método de simulação de afogamento através de dois memorandos, um de 2003, o outro de 2004. (no PD)
* Após o comercial sinistro sobre o “perigo” Obama e por aí navegou durante três ou quatro dias, Os comícios começaram a fugir do controle, com seus apoiadores chegando a gritar matem-no à menção do nome de Obama. O Serviço Secreto abriu, inclusive, o inaudito precedente de interrogar membros de um comício presidencial por ameaça de assassinato. Com a reação negativa gerada pelo sectarismo, McCain retrocedeu. De uma correligionária que começava um discurso sobre Obama, o “terrorista árabe”, ele chegou a tomar o microfone, meio sem graça ou talvez a contragosto, para dizer que Obama é um homem de família decente com quem tenho algumas divergências. Foi vaiado durante alguns instantes pelo seu próprio público. Ante a menção de um correligionário de que “tinha medo” de Obama, McCain de novo se afastou do clima de ódio que sua própria campanha havia criado, tendo que dizer que Obama não era alguém de quem se deveria ter medo. A contradição é óbvia: toda a campanha de McCain se sustenta sobre a premissa de que há que se ter medo de Obama, de que há algo “desconhecido e perigoso” nele. Caindo essa premissa, a campanha de McCain fica meio desprovida de ângulo de ataque. (IA)

** uma das três pessoas que McCain citou como as mais "sábias" do país (e de quem ele dependeria para conselhos) comparou-o a um dos maiores racistas dos tempos modernos. (IA)

**o relatório da comissão -- de maioria republicana -- que investigou a perseguição de Sarah Palin ao seu ex-cunhado, policial no Alaska, o chamado “Troopergate”: o veredito unânime foi de abuso de poder. Trata-se de uma história que a campanha de Obama certamente não vai explorar, não por magnanimidade, mas porque não interessa a Obama atacar Palin agora. Ela já é cachorro morto. (IA)
.
Aguardo com grande interesse o resultado do debate de hoje. McCain ameaçou cilindrar Obama, vamos ver....

1 comentário:

Francis disse...

Logo depois de morrer, o Barak Obama chegou no céu e S.Pedro lhe perguntou:
- Quem é você?
- Eu sou Barak Obama, o novo presidente americano. - respondeu ele.
- Presidente americano? ahahahahahah...Desde quando? - perguntou S.Pedro.
E o Obama respondeu:
- Fui eleito há meia hora atrás...