24 julho 2008

espero que seja só um devaneio da silly season...ou tavam mesmo a falar a sério?


pois é....eu cá não sei o que é um curso acelerado de medicina....mas que raio é isto de malta que tem um «ciclo de três anos de licenciaturas em ciências relacionadas com a saúde»??? há algum curso de ciências relacionadas, seja lá isso o que for, que substitua o curriculum dos 3 primeiros anos de medicina?? t.r.ê.s a.n.o.s? algum curso de ciências relacionadas dá anatomia com a profundidade do curso de medicina? ou fisiopatologia? ou há algum curso que tenha farmacologia clínica e semiologia e bioquímica e histologia e anatomia patológica e radiologia tudo junto?
Uma coisa é certa: vamos ter dois tipos de médicos: os que entram com media de 18 ou 19 e fazem os cadeirões todos e que mal ou bem metem aquela porra toda na cabeça, e os médicos a martelo, que fazem de conta que fizeram. Arranjam-se umas equivalências, mais umas assinaturas e umas cunhas (como é óbvio) e coisital e tá a andar de mota....um gajo cai de pára-quedas no 4º ano, para discutir casos clínicos! «em regime tutorial totalmente experimental baseado em estudos de casos clínicos». Espantoso. É mais ou menos como entrar no 4º ano de direito, num curso baseado em estudos de processos juridicos. Com 3 anos de um "curso relacionado". Ou, no 4º ano de engenharia num curso baseado em estudos de construções. Ahhh, mas fez umas cadeiras num curso relacionado...não é bem, mas é quase a mesma coisa. É como a outra, mulher de um médico, que dizia que também era quase médica (não, não era a brincar) de tanto ouvir falar. E dava consultas às amigas e tudo. E, calhando, nem fazia má figura na Faculdade do Algarve...

11 comentários:

Pêndulo disse...

Estás completamente ultrapassada e praticas medicina arcaica. Que desperdício de tempo e dinheiro um curso como o teu. Sócrates resolve. Como?
São as Novas Oportunidades pah! Levam um computador com banda larga e pesquisam no Google os sintomas do gajo que têm à frente. Já não é preciso tantos anos de curso. Aliás para engenharia com Inglês Técnico também não.

Carlos Duarte disse...

Cara Cristina,

O curso não é de 4 anos? Ou seja, eles entram (para todos os efeitos) no 3º ano. Agora, não sei como funciona esse "3º ano". No Reino Unido esse tipo de cursos já existe há alguns anos, incluíndo para licenciados em geral (desde que em áreas científicas), com duração de 4 anos (o curso de medicina "normal" lá tem 5 anos e não 6 como cá), em que o primeiro ano é uma mistura intensiva dos dois primeiros anos de um curso normal.

Não sei como será o do Algarve... espero para ver.

Anónimo disse...

Olha! calha bem, eu que sou das biologias, já conheço a sensação das beliscadelas dos peixinhos (é verdade que é muito boa ) e já assisti, uma semana seguida, à muda do penso no meu pé (a porcaria da ferida infectou...mas também com uma pomadinha e antibiotico tá quase novo!
Índa por cima tou no Algarve, se calhar só me falta praí umas semaninhas...

Tino.

Alien8 disse...

Cristina,

Como pessoa relacionada com a saúde há longos anos, e até mesmo com a doença, não posso deixar de me candidatar a esse bendito curso acelerado, mas creio que deverei entrar directamente no internato, no mínimo dos mínimos.

A propósito, já pensaste em ir para juíza? Cá para mim, tinhas uns gajos a condenar, JÁ!

Bom fim de semana!

Cristina disse...

alien

pra ti, em 10 lições. nem acho que precisasses de mais...

:))beijos

Cristina disse...

pendulo

ora nem mais...imagine-se de onde é que sairam estas ideias verdadeiramente inovadoras!! :)


só inventam merdas pra aciganar ainda mais o que nem sempre é escorreito...

Cristina disse...

carlos

eu aceito que existam cursos de medicina direccionados, por exemplo, como o de medicina dentaria. não é um bom principio, e não é por acaso que o curso de medicina portugues era dos melhores da europa, mas, nunca equilavencias de anos inteiros para quem vem de outros cursos. é um péssimo principio.

penso que ja acontecia haver equivalencia por exemplo de 1 ou 2 cadeiras farmacia e nao sei se outros. mas, eram cadeiras, agora anos inteiros??

cá pra nos, alguem tem filhos que entraram pra enfermagem ou farmacia ou outra porra qualquer porque não tiveram nota e agora querem enfiá-los em medicina. e logo a meio. não fazem a coisa por menos.

Cristina disse...

Tino

com esse curriculum, é garantida a entrada :))

Lola disse...

Cristina mais linda,

É assustadora a ligeireza com que este "projecto" nos é apresentado.

De repente deram-se conta que faltam médicos e vai de fazê-los à pressa.

Vai correr mal.

Anónimo disse...

E há p'rai vagas de primeiros ministros que cheguem para esses licenciados todos?

Carlos disse...

Então e em que pacote é que entram as tribos inteiras de alunos dos PALOP's, muitos que parecem nem ter concluído a instrução primária e que, graças a uma quota especial, têm sempre vagas nos cursos de medicina em Portugal? Geralmente são familiares dos poderosos de lá, mas nunca voltam para o seu país africano. Ficam em Portugal e, por todo o país, são esses pseudo-médicos que asseguram as urgencias dos hospitais e os centros de saude da provincia. Falo em pseudo-medicos, porque já fui atendido por alguns e eles nem sequer conseguiam entender o meu português e ainda menos estabelecer um diagnóstico! Se não fossem os enfermeiros portugueses a salvá-los não sei como seria!