23 junho 2008

Transformismo

Decidiu o mundo ocidental que também para a guerra há limites. Há uns anos largos a União Soviética, quando ocupava o Afeganistão, usou um tipo de míssil inovador que tem como característica ser particularmente eficaz para abrigos, subterrâneos e construções fortificadas. Ao que parece, quanto mais fortificado melhor a coisa funciona. O míssil depois de penetrar explode libertando uma nuvem de pó de um composto de alumínio que, em seguida, se incendeia. Numa primeira fase as vítimas morrem asfixiadas pelo incêndio, porém, se sobreviverem, segue-se uma onda de pressão brutal devida ao incêndio brusco que lhes esmaga os órgãos. Este tipo de arma, denominada "míssil termobárico AGM-114N" foi considerado extremamente cruel e o seu uso debatido na Grã-Bretanha sendo bastante controverso e a evitar. Bom, mas a guerra no Afeganistão é agora com tropas britânicas que estão a sentir dificuldades para eliminar os talibâs escondidos em subterrâneos (local ideal para uso de mísseis termobáricos). Que fez o governo de Gordon Brown para tornear o problema ético do seu uso ?
“We no longer accept the term thermobaric [for the AGM-114N] as there is no internationally agreed definition,” said an MoD spokesman. “We call it an enhanced blast weapon.”

O fabricante, Lockheed Martin, continua a vendê-los como "termobáricos".

4 comentários:

Animal disse...

sobre o transformismo linguístico recomendo vivamente este vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=h67k9eEw9AY

Mocho Falante disse...

é pá...o poder da lingua é mais forte que esse missil

beijocas

Francis disse...

"atétremem"

Cristina disse...

ora....o tamanho do crime depende de quem o pratica.

incrivel..