29 junho 2008

A lição espanhola e as verdades de La Palisse


Uma equipe sem vedetas tendencionalmente funciona como equipe.
A vontade de vencer não é incompativel com a serenidade e a concentração no jogo.
A humildade é meia vitória.

6 comentários:

Pézinhos N' Areia disse...

e daí que, mais uma vez se prova que o TODO não é igual à soma das partes.

É muito mais do que isso.

Alien8 disse...

Cristina,

Eu não te disse? :))))
Arriba España!

E o Marcos Senna merecia o (segundo) golo. A Espanha também.

Beijinho.

P.S.: Diabos levem as chamadas caídas. Vá lá...

Eric Blair disse...

olé!
que pariu os alemões. Só é pena o golo não ter sido irregular, mas também não se pode querer tudo...

Alien8 disse...

Boa, Orwell!
E o golo até foi um bocadito irregular. O Torres deu um ligeiro empurrão ao Lahm. Quem com ferros mata... ehehehe!

Desinformador disse...

Irra... o pior foi mesmo chegar hoje ao trabalho e ter no mail os parabéns de um alemão com quem trabalho, que está nos escritórios centrais na Alemanha!

A minha resposta foi, obrigadinho pá, mas eu sou tuga! os gajos que vcs despacharam nos quartos! Vielle danke!

Alien8 disse...

Hmmm... ouvi ontem na TV alguém dizer que, em 2004, os jornais espanhóis punham em título "Ibéricos na final".
Ora bem... agora é a nossa vez: "Ibéricos ganham Europeu". Nem mais. Daí que os parabéns dos alemões até façam sentido :)