25 maio 2008

É ele??..


Win Wenders em Cannes com novo penteado e quase irreconhecível, diz que que cinema é mostrar tudo o que a imaginação pode criar e isso deve ser feito de uma maneira pessoal, que é a única forma de manter o cinema vivo, que pode sobreviver, e ser sólido, mas que para isso deve fugir das fórmulas convencionais. "Perdi toda a confiança na estrutura clássica dos filmes".
A Visão pessoal faz a diferença
Pessoal é certamente o filme de Wenders, no qual um fotógrafo enfrenta a morte, representada por Dennis Hopper . "As pessoas que já encararam a morte alguma vez não falam de morte, mas de luz, de beleza, da ausência de medo, de coragem" e isso é o que Wenders tentou mostrar, disse Dennis Hopper.
E para contar essa história de vida e morte, de realidade e ficção, Wenders utilizou os sonhos.
"Como qualquer outra pessoa, aprendo com os sonhos", acrescentando que eles lhe servem de inspiração para seus filmes, como neste caso, um filme que é "um sonho acordado", como ele mesmo definiu sua obra.
Enfim, “Win Wenders e aprendenders”, como dizia o outro...

1 comentário:

Pêndulo disse...

Já eu gosto mais de Vim Limão