26 maio 2008

sequelas do 13 de Maio...



O terceiro e pior obstáculo do ateísmo é a ausência de finalidade. Para o ateu este universo, sem origem nem orientação, também não tem propósito. Bons e maus têm o mesmo destino vazio. Saber que vivemos num mundo que se dirige à morte e ao nada faz de nós os mais infelizes dos seres. Se Deus não existe não existem o bem, a moral, a própria razão. Esta crueldade ontológica é tão avassaladora que poucos que a afirmam a enfrentam com honestidade.
Poucos exemplos são tão bons como este, da ideia que tenho sobre a religião católica. Não especificamente a católica, mas principalmente a católica já que é a dominante. Quando as pessoas escolhem pertencer a uma religião, vão em busca de parâmetros de conduta que lhe traga consolo espiritual, definições do que é bem, do que é mal, e, na impossibilidade de escolher livremente e assumir a responsabilidade de decidir sozinho, diante de uma crise do que é certo ou errado, buscam uma âncora ou uma orientação. Uma necessidade absoluta e vital de ser controlado. Até aqui nada de grave, ou seja, se a religião apenas servisse para orientação própria. O pior não são as necessidades individuais, mas as necessidades da Igreja. A definição de bem e mal considera-se até necessária como freio para os impulsos criminosos de grande parte da humanidade ou para os desvios de conduta, especialmente no campo da sexualidade, como bem vimos recentemente, e que continua a ser tratada em termos morais e não na perspectiva da liberdade individual. Existe o inferno para quem pratica o mal e o céu para quem pratica o bem. Mas se já existem leis, e se já existem códigos de conduta estabelecidos pela sociedade, e se já existem tribunais para julgar os nossos actos, para quê adoptar céus e infernos como balizas de conduta? E aí, há sempre um Das Neves a relembrar que neste mundo cruel, o dos ateus, bons e maus têm o mesmo destino vazio. Saber que vivemos num mundo que se dirige à morte e ao nada faz de nós os mais infelizes dos seres. Se Deus não existe não existem o bem, a moral, a própria razão. Esta crueldade ontológica é tão avassaladora que poucos que a afirmam a enfrentam com honestidade......pois é... mas uma coisa é a necessidade que todos os seres humanos têm de dar um sentido à sua vida, outra é o que a Igreja faz com essa necessidade....até porque, se as pessoas passarem a não acreditar no culto do paraíso e do inferno, se passarem a orientar o seu comportamento só pelas leis que a sociedade impõe, qual será o poder da Igreja??

24 comentários:

Pêndulo disse...

Li isso de manhã. Gostei de
O ateísmo é uma construção tardia e artificial de elites, sobretudo desde o Iluminismo. Mantido em ínfima minoria, agora está em clara decadência.
Sem dúvida, sem dúvida. É ver a quantidade de padres que se ordenam.

Mas ignorar a possibilidade de Deus é como desinteressar-se da existência do pai, benfeitor ou patrão, senhorio ou polícia.

Em compensação a Cristina está farta de nos relatar o interesse de tanto católico pelo real pai. Só falta pedirem para lhe dar uma "injecção atrás da orelha". Só não pedem porque ficavam sem a reforma do velhote. Mas lá vão casar-se na igreja e a baptizados e comunhões.

A fragilidade lógica do ateísmo é pouco relevante por ser um fenómeno elitista ocidental contemporâneo que, exportado à força pelo marxismo, está em extinção. A única questão interessante é saber porque coisas tão simples foram escondidas aos sábios e inteligentes e reveladas aos pequeninos.

Olha, afinal a URSS dominou o mundo e eu não dei conta.

Eu pergunto-me porque ainda perdemos tempo a ler esta criatura.

Cristina disse...

eu pergunto-me é o que esta criatura faz num jornal nacional....todas as semanas me espanto! eu não o queria no jornal da freguesia.

será só para usar como palhaço de serviço?? misterios..

Pêndulo disse...

É assim como quando se vai na estrada e se vê um carro todo esfrangalhado e gent à volta. Sabemos que veremos sangue e corpos estraçalhados, sabemos que isso nos vai incomodar e no entanto olhamos.
Ou numa versão mais porca:
Alguém diz "Cheira a m***" e em vez de sustermos logo a respiração não resistimos e ..."Cheira cheira. É mesmo cheiro a m***"

dalloway disse...

Se já é difícil digerir o Das Neves num jornal nacional, ou regional ou mesmo como post..então ao som desta grande música torna-se IM-PO-SSI-VEL lê-lo ou argumentar...

Beijo na ponta do nariz

Fado Alexandrino disse...

As leis criadas pelos homens para os homens podem ser nalguns casos magníficas mas tenho que ser sincero nunca levam em linha de conta nem com sentimentos nem com espiritualidade.
Qual é a lei que manda dar esmola a um pobre?
Qual é a lei que manda ajudar o nosso semelhante?

Cristina disse...

dalloway

é verdade. nem digo mais nada, que me deu uma vontade louca de ouvir esta musica...

beijos, os que quiser :)

Cristina disse...

fado

o ponto fraco dessa pergunta, é que nos faltam os resultados. ser católico é ser amigo do proximo? ou melhor, a igreja catolica faz alguem moralmente melhor? com melhor caracter? mais solidario? não. a igreja oferece-te o céu se fores bom, castiga-te se fores mau, e melhor ainda, absolve-te em seguida. ESSE é o maior poder: absolve-te. assim te tem na mão. sujeita-te e Deus te perdoará. faças as atrocidades que fizeres. e todos sabemos que crimes isso permitiu ao longo do tempo.
tenho medo dessa gente..

Eric Blair disse...

pá, eu até que acreditava nessa coisa do céu e do inferno, mas deixei de acreditar quando percebi que os católicos iriam todos parar ao céu. Não sei, não me dava jeito ter que aturar lá o das nebes e companhia, pelo que deixei de acreditar. Mas estou a ponderar voltar a acreditar, mas só lá para 4ª ou 5ª feira.

Eric Blair disse...

ah! mas acredito no senhorio e no polícia. E no senhor José da retrosaria. Já a dona Milinha da mercearia ...

Manel disse...

O Das Neves é intelectualmente desonesto ao afirmar que "se Deus não existe não existem o bem, a moral, a própria razão".
O que é que a razão e a moral têm a ver com a religião, se o criador dos Deuses foi o Homem e só são mantidos como tal, porque é negócio.
O que me intriga é o Neves carregar tal piano desafinado á segunda feira!

Animal disse...

ora, o homem tem de pagar o visa como toda a gente... lá por ser católico não está isento.

Animal disse...

é que se fosse assim, ia-me já inscrever...

Fado Alexandrino disse...

ser católico é ser amigo do proximo?

Talvez.
O que sei, é que se confunde ser católico com ser cristão.

Natur Line Sex disse...

Adar com um texto maravilhoso.
muito boas, mo' gostou muito, da mesma maneira que o blog, obrigado muito

Francis disse...

mas toda a gente lê, masoquismo ?

Piotr Kropotkine disse...

em resumo ...um gajo com fé dorme melhor..... a mim pareçeme benzinhu e poupaçe no lexotan..... é so advantages

Cristina disse...

eric

deixaste de acreditar, não! deixaste foi de estar inetressado na recompensa.

é assim como... se ajudares uma velhinha levas a Elsa Raposo de prémio...:)))

Cristina disse...

manel

pois, convem que interiorizes bem a coisa: o bem que vale, o que te torna um ser moral e racional é o dos mandamentos. não vas distrair-te...

Cristina disse...

animal

é um emprego do caneco! dasse, tanta gente por aí a escrever bem e sobre coisas interessantes e a precisar de ganhar dinheiro..

Cristina disse...

fado

ser catolico ou cristão de outra religião, no caso não me faz muita diferença. o principio é semelhante: leis de conduta e controlo sobre as pessoas alem das leis civis necessarias à vida em sociedade.

Cristina disse...

francis

é como diz o Pendulo, a morbidez atrai.

Cristina disse...

piotr

ó-ó! 2 padre nossos e 4 avé-marias e tá feito. é assim que eles se safam...

Brancaleone disse...

É preciso que parem com esta asneira de que nós os ateus não temos ética, princípios, regras ou moral. Entre nós existem os que tem e os que não tem, exatamente como entre os crentes. A inquisição, os suicídas muçulmanos e outros exemplos de mau uso da fé demonstram que entre os que crêm em deuses, o mau caratismo e a canalhice tambem campeiam.
Muitos dos nossos, eu inclusive, respeitamos nossos semelhantes por respeito puro e simples e não porque buscamos agradar aos deuses ou escaparmos do inferno.
Ser ateu não é não acreditar em deuses, é simplesmente ser indiferente a existência ou não dêles. Não saimos por aí pregando a não existência de deus. Para nós (pelo menos para mim) não faz a menor diferença se existem ou não deuses, fadas, gnomos ou sereias. Não tem a menor importância ou influência nas nossas vidas se tais seres mitológicos existem.

Helder Sanches disse...

Parabéns pelo artigo. Ai, a inveja doentia dos que vivem em liberdade...

Este Artigo do das Neves é mesmo abominável.