10 março 2008



Uma das coisas espantosas da politica americana é a ausência de separação entre o Estado e a religião. Separação efectiva. Um dos maiores pecados na politica norte americana é ser ateu. Pior que defender a segurança social, ou o New Deal, ou mesmo (deus nos livre) ser comunista, é ser ateu. Anarca
.
Uma pesquisa da Veja, feita em parceria com a CNT/Sensus, revela que 84% dos brasileiros admite votar num negro para presidente, 57% não se importaria de eleger uma mulher, 32% votaria num homossexual, mas apenas 13% votaria num ateu. Pior, 60% disseram que Não votariam num ateu, enquanto no caso do negro apenas disseram não 1%, no caso da mulher 12% e no caso do homossexual 34%.
.
Porque é que o ateísmo ainda é tão ameaçador?
Porque é que ser ateu, não precisar de um Deus nem de deuses para justificar os próprios actos, assumir a responsabilidade de estar vivo e viver conforme a própria consciência, não ter vínculos nem dever obediência a outras realidades supra-humanas, gera tanta desconfiança?Precisaremos de um Pai que guie os nossos passos para sermos credíveis?

29 comentários:

immortal disse...

para algumas pessoas tudo o que não é "igual" a elas e as seus pares é...diferente....inaceitável
digo eu...

Desinformador disse...

Se votas num político ateu, nunca poderás apontar-lhe o dedo e dizer que mais tarde ou mais cedo vais responder perante Deus por todos os seus supostos 'pecados'!

Imaginem a satisfação!

Eu por mim votava no Mick Jagger!

Lola disse...

Eu votaria numa mulher negra, lésbica e ateia, se ela fosse capaz para o cargo a que se candidatasse.

Beijos aos três.

Estou a gostar do trio.:))))

e-ko disse...

ainda não sou negra nem lésbica mas já sou mulher e ateia há algum tempo e candidata a rainha dos anarcas!

quem é que vota numa mulher ateia, monarquica e anarquista ?

ciao!

Alien8 disse...

Cristina,

Cristina,

Boa sorte para a nova redacção do CC!

Sobre o tema, ocorre-me uma resposta simples, talvez mesmo duas: Medo? Insegurança?

Só a título de exemplo.

Um beijo para ti.

Piotr Kropotkine disse...

a unica etica verdadeira é a dos ateus... quando fazem algo digno fazem-no porque acham que devem fazer não porque esperem alguma recompensa divina na vida ulterior...

a ausência de vida após a morte é uma ideia insuportável.... leva a que a solução fácil não seja a ética mas o niilismo .... a maior parte das pessoas acha que na ausência de deus só sobra o caos do niilismo

Sapka disse...

e-ko: ateia, monárquica e anarquista é quase uma tripla contradicção. Se és tu a candidata, coragem! Não queres experimentar uma carreira menos frustrante?

Piotr Kropotkine disse...

entretanto Jesus vai regressar e desta vez vem como filho de um programador de Linux....

e-ko disse...

caro sapka,

os espíritos verdadeiramente superiores e aristocráticos ultrapassam todas as contradições mesmo as triplas... quais frustrações?

Cristina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cristina disse...

Piotr

tire-se Deus do palco da existência e veja-se o que sobra. A mesma vida de sempre, muito mais "ameaçadora" pelo facto de exigir a própria tomada de decisões sem apoio de alguém ou algo além de "si mesmo". mas, é dificil assumir a propria vontade e não a vontade de um ser superior a nós. são decisões solitárias e muito mais pesadas, acho. Um ateu "sabe" que é o responsável por qualquer atitude que venha a tomar. Daí a opção pela Ética acima de tudo.
além de que tens razão, ser ateu é ater-se ao presente e simplesmente vivê-lo. apostar no que vem depois, é impossivel.

Cristina disse...

immortal

desi


outra questão: repara que no continente americano, o conceito de religiosidade está intrinsecamente ligado a um conceito de moral. ou seja, quando te dizes ateu, as pessoas fazem um julgamento moral. e é muito pior não acreditar que acreditar noutra coisa, noutro deus, o que seja.

ser descrente é imoral, quase.

Cristina disse...

lola

bem, eu também. como numa das opções:depende da pessoa.

mas não era isso...


beijocas

Cristina disse...

e-ko

mas os europeus não fazem um julgamento moral tão forte. ou seja, é um bocado indiferente se o governante é crente ou não..

Cristina disse...

alien

medo de? é isso que eu quero saber :)

obrigada, beijinho

Animal disse...

carago, afinal ser ateu dá uma trabalheira do caraças... vou-me inscrever ali na IURD que é a igreja mais perto daqui de casa

aleluia, vi a luz!
ah, era um candeeiro...

Cristina disse...

animal

pá, é um descanso. já não tens que decidir se comes corn flakes, crunch, ou chocapic ao piqueno almoço....

dalloway disse...

Estas percentagens fazem lembrar Dostoievsky e o quanto alguns "especialistas" o reduziram a um "se Deus morreu, tudo é permitido."
Aquilo que é natural esperar de um candidato a um lugar cimeiro é que ele, para além de bom politico, represente todas as (boas) qualidades do ser humano. O candidato é quase transformado num animal moral.

Se nos lembrarmos do típico dilema ético talvez seja mais fácil perceber a razão porque o candidato ateu é o menos votado
"O que é bom para a leoa, não pode ser bom para a gazela. E o que é bom à gazela, fatalmente não será bom à leoa."

Parece não existir a separação entre estado e religião e a moral está explicitamente ligada à religião o que por si só torna o ateu alguém sem moralidade para cantar um cego, quanto mais representar um país.

dalloway disse...

* para mandar cantar um cego

Sapka disse...

e-ko: e já tens um rei, isto é, um pretendente, uma vez que ainda estamos em república? Estou a ver o debate na RTP-1, uma seca.

e-ko disse...

ó sapka, não estou a perceber a questão... eu só sou candidata a um lugar de rainha dos anarcas ateus e eventualmente constipados... o qué que vem fazer pró caso um rei e ainda por cima pretendente ?

Fado Alexandrino disse...

Penso eu de que, se uma pessoa não seguir nenhuma religião deve então seguir uma materialidade.
Ou seja está mais atenta aos bens terrestres do que aos divinos.
Isso parece-me perigoso num político.
Por mim nunca votaria num negro, num gay não e não, numa mulher sempre, especialmente se fosse minha.

e-ko disse...

Fado, pensas de que mas não estás a ver bem...

quando cruzas na rua todas as pessoas que passam por ti, o que vês? homens e mulheres todos diferentes, vestidos de formas diferentes, com peles de cores que vão do muito claro ao muito escuro e cuja inteligência se caracteriza por capacidades cognitivas muito semelhantes. se não souberes que são homosexuais e se tivesses uma incapacidade visual, falando com eles não distinguirias esses detalhes, seriam, simplesmente, humanos dotados de inteligência humana... com direitos e deveres de cidadãos, dignos de respeito e potencialmente capazes de assumir, não só, as responsabilidades de cargos profissionais, mas também, as responsabilidades de cargos políticos. é muitas vezes o estígma e a marginalização que pode produzir comportamentos inadequados, reactivos, nas minorias sociais e, nesse aspecto, o olhar mais ou menos ostensivamente discriminatório, pode ser mais do que potencialmente destrutor.

e não sei em que possa ser perigoso um político ateu... há ateus muito mais honestos e de princípios muito mais sólidos do que muitos crentes, de todas as religiões confundidas, com todas as suas morais de catecismo.

vão-se conhecendo, pelo mundo, políticos muito competentes que são gays que durante o início das suas carreiras esconderam as suas orientações sexuais e que acabaram por o revelar. vem-me à ideia o presidente da câmara de Paris que voltou a ser eleito no domingo passado e, não dou o exemplo do Paulo Portas, porque o homenzinho revelou-se como o exemplo mesmo dum péssimo político, católico e sem princípios.

Fado Alexandrino disse...

Obrigado E-Ko
A ideia era brincar um bocadinho, mas tenho que compreender que nas pessoas de esquerda, o humor não abunda.
E continuando na brincadeira, quando estou ao pé de um homem gosto de estar descontraído e confiante e ao pé de uma mulher contraído e desconfiado.
E por isso quero acreditar sempre no embrulho.

e-ko disse...

sabes Fado,

o problema é que muitas vezes o humor das pessoas de direita coincide com as ideias que dizem não defender... o que não ajuda nada para se sentir descontraído neste mundo bipolarizado!

Manel disse...

O medo de ser livre.
O medo de ser responsável.
o medo de viver o momento.
Eis algumas razões para um indivíduo dizer que não votaria ateu, que se resume na primeira.

Sapka disse...

Querida e-ko, diz-me em que sentido é que és monárquica, que ya no te entiendo chica. An+arquia oposto a mono+arquia. Atão tu só és monárquica porque és tu a rainha? E porque é que os anarcas têm todos o rei não na barriga, mas no ego?

O Portas é um gay não assumido, um closet gay. Eu acho que ele devia aprender com este meu primo a sair do closet http://www.dailymotion.com/mrpregnant/pentatonic/video/xoa64_i-am-gay_dating
revelar esse lado escondido da sua vida pessoal ao público diante do qual se apresenta diariamente. Direito à vida privada? OK, mas depois que não se queixe se não consegue passar dos 5%. Quem quer resguardar a sua vida privada, não vem para a política. O que é válido para o Portas é-o para outros políticos que aí andam e que escondem a sua homosexualidade.

e-ko disse...

bom, vamos lá a ver se nos entedemos... não é uma questão de ego mas de sacrifício, sim sacrifício, pela minha parte em me propor para monarca dos anarcas e dos anarcas em me promover a monarca e, tudo isto, porque toda a gente se queixa dos políticos deste país, tornando-me assim numa alternativa... o camarada Koprotkine já me disse para ir fazendo o logo prá campanha de 2009, até poderiamos fazer um partido blogosférico, não?

Alien8 disse...

Cristina,

Medo de ser livre, como disse o Manel, e eu subscrevo.

A questão dos EUA passa pelo facto de, dos seus textos constitucionais, constar a expressão "a nation under God" - e não há maneira de se livrarem dessa antiguidade. Mas também não se coíbem de censurar os estados islâmicos ditos teocráticos...

Uma notazinha sobre a anarquia-monarquia: um verdadeiro anarca vai a todas, mesmo à monarquia, caramba! Ou não? :)