18 março 2008

Agora mais a sério..



Parece que na versão inicial do diploma , entregue sexta-feira no Parlamento, o PS quer proibir qualquer menores de 18 anos de fazer tatuagens, colocar piercings ou aplicar maquilhagem definitiva, prevendo ainda, a proibição, extensiva a todas as idades, de piercings na língua, na boca e noutros locais considerados de maior risco. Segundo li, o PS ter-se-á manifestado entretanto disponível para aceitar que menores de 18 anos sejam autorizados a usar 'piercings' ou tatuagens, desde que as respectivas famílias assumam a responsabilidade em termos de consequências para a saúde.
Este tipo de regulamentação é inédita? não. No Brasil, A lei paulista n.º 9.828, proíbe desde 1997, por exemplo, a aplicação de piercings e tatuagens em menores de idade, mesmo sob consentimento dos pais. Nos outros países da europa não sei, mas é uma questão de ver. Depois.
Com uma coisa concordo: os piercings, na minha opinião, fazem parte da cada vez mais longa lista de agressões corporais com fins estéticos, que eu não condeno desde que a pessoa esteja devidamente consciente dos riscos, que devem ser devidamente regulamentadas e, na minha opinião, devem ser proibidas a menores excepto, com autorização explicita dos pais. E neste grupo incluo piercings, sejam eles argolas, bolinhas, alargadores, halteres ou outros quaiquer, tatuagens, e sobretudo, na lógica das alterações corporais, cirurgias estéticas, aplicações de silicone, botox e afins.
Por partes: furar o nariz, a lingua, a orelha, os mamilos, os genitais, ou qualquer outra parte do corpo pode ser de gosto duvidoso, mas é com cada um. Agora, esta agressão não é de forma alguma inóqua, está sujeita a infecções graves e em último caso a deformações definitivas. Escrevi sobre isso, há tempos, a propósito do botox. Lembro-me ainda, a título de exemplo, de uma rapariga que andou meses com uma infecção da parede abdominal por causa de um piercing no umbigo. Por outro lado, em relação ao piercing da língua, um estudo publicado na revista da Associação Odontológica Americana lista os riscos de colocar brincos nesse órgão: Logo depois da perfuração, há dor, inchaço, aumento da salivação e lesões na gengiva. Com o tempo, por causa do inchaço e do aumento da vascularização da língua, a fala fica comprometida. Muitas vezes, com a movimentação natural da língua, os brincos batem nos dentes e podem lascá-los, provocando dificuldades para mastigar e engolir alimentos. Outro problema do enfeite exótico é que o buraco feito para colocar o brinco torna-se um depósito de restos de comida e células mortas da mucosa uma cultura perfeita para bactérias e outros agentes infecciosos. Faz sentido? E é só por isso que acho que deve ser feita com autorização expressa dos encarregados de educação e mesmo assim com reservas. Tal como um cirurgião plástico não opera uma miúda que queira aumentar as mamas sem pensar duas vezes e principalmente sem consentimento dos pais, com os piercings não devia ser muito diferente. Discute-se até, muitas vezes, se se devia fazê-lo a menores tout cour. E tudo isto porque, a adolescência, nem sempre comporta uma ideia madura sobre aquela que deve ser a imagem corporal definitiva e também, ou sobretudo, sobre os riscos que podem transformar uma alteração reversível numa deformação definitiva.
E nós pais nisso?

37 comentários:

Beatriz disse...

Eu acho mesmo que essas imagens são horrososas.
Um beijinho

Francis disse...

pois.

Animal disse...

vi uns rebites muito jeitosos no Leroy-merlin. davam pra fazer umas orlas muito vistosas em redor dos mamilos. ah, e também tinham uns ferros de soldar em promoção, que são fixes para fazer uns desenhos a quente, que tatuagem é pra meninas

mar disse...

Os piercings na lingua sempre me fizeram mta impressão

that's all folks disse...

pois pode impressionar... mas a mim o que me impressiona mais é a vontade do estado querer controlar cada vez mais os cidadãos... isso impressiona-me sobremaneira... trata-se de mais uma tentativa de policiamento de costumes! a fazer lembrar outros tempos que se julgam idos... qualquer dia surge uma proposta a impedir as pessoas de se vestirem de preto, porque o preto é depressivo e outra a dizer que temos todos q nos vestir de cor de rosa que é a cor do governo... quando o estado quer mandar no corpo dos cidadãos isso sim, impressiona!!

Cristina disse...

that's all folks

estamos a falar linguagens completamente diferentes. pelas razões expostas, acho bastante razoável que se proiba, pelo menos a menores..

Cristina disse...

beatriz

livra-te de alguma vez me falares sequer em piercings....quanto mais colocá-los...

Cristina disse...

mar

a mim não só me fazem impressão como me causam um nojo profundo.....

Cristina disse...

animal

tás a brincar?? nem queiras que te mostre mais umas fotos que encontrei por aí...

eu acho que isso, esses exageros, só são compreensiveis em contexto de doença psiquiatrica auto-mutilante.

uns cortam os pulsos, outros furam a lingua, não vejo grandes diferenças...

immortal disse...

eu só furei as orelhitas com 22 anos, e porque estava farta de ver brincos giros e não puder usar...há mais de um ano agora que não uso nada...
mas os menores não precisavam de consentimento para o fazer?

Cristina disse...

immortal

penso que não...

Animal disse...

mesmo a precisarem de consentimento, quantos não há que chegam a casa dos velhos depois do acto consumado? (além desse, claro: tamos a falar de piercings tatuagens e outras maravilhas que tais...).
o que é que resta aos velhos? cortar a mesada? confiscar a playstation? mas o buraco já está feito e não há betume no leroy-merlin para encher esse tipo de fendas....

marta disse...

Eu estou de acordo com o "That's all Folks", aliás o meu post de hoje é sobre isso, feito pela madrugada.

Já uma vez aqui o disse, quando foi dos fumadores, estão a legislar direitos individuais, e isso é grave, porque virão mais, e depois não haverá argumentos com que se possam parar.

Rosalina disse...

Concordo na íntegra com o comentário de that's all folks.

Esta linguagem proibitiva que governo ps começa a utilizar é mais do que impressionante. É assustadora. Porque depois há logo quem venha achar que por questões de saúde, higiene e afins tem de ser feito.

Até porque o dia em que se soube que o ps tencionava fazer essa proposta foi o mesmo em que se soube que o governo tencionava legislar no sentido de esterilizar as 7 raças de cães perigosos.

Animal disse...

nem sei como é que ainda ninguém se lembrou de mandar esterilizar os gajos que escrevem nos blogues contra o governo

quase que resultou quando foram os judeus...

Cristina disse...

marta

rosalina

uma noticia de 2002
Os umbigos, línguas e sobrancelhas dos adolescentes holandeses terão quer esperar até aos 18 anos para receber um piercing, de acordo com a opinião maioritária do Parlamento holandês, que pretende proibir as perfurações corporais em menores, com o fim de evitar sequelas.

A ministra da Justiça holandesa, Lene Espersen, anunciou na sexta-feira que pretende encontrar uma solução junto do Ministério da Saúde para garantir que não se realizem perfurações corporais em menores de idade e para isto manifestou estar disposta a modificar lei.

A presidente da Comissão de Saúde do Parlamento, Birthe Skaarup, apoia a proibição e denunciou as faltas de higiene em que são realizados muitos dos piercings, contribuindo para o risco de contágio da hepatite e sida.
...
Rio Janeiro /agost
Tatuagens e piercings estão proibidas para menores de idades desde ontem. A lei não prevê permissões especiais para quem tem autorização dos responsáveis. A exceção é a colocação de brincos nos lóbulos das orelhas, permitida para quem tem menos de 18 anos.

...

o que me espanta é que o assunto surja como uma coisa do outro mundo de que nunca se ouviu falar!!! só é um assunto deste governo porque este governo decidiu pegar nele como em muitos outros nomeadamente o dos cães, ja legislado noutros paises.

realmente não entendo o espanto...ha proibições que não me incomodam mesmo nada, sinceramente..

Cristina disse...

animal

o nosso trabalho está antes....lol...a minha ja está tão enojada com as fotos que lhe mostrei dos resultados da coisa que duvido que alguma vez se deixe furar.

é tal e qual como um colega meu conseguiu convencer o filho a não querer uma mota. levou-o ao serviço de neurocirurgia e mostrou-lhe a quantidade de malta nova que daqui pra frente a unica coisa que vai mexer, são os dedinhos....com sorte.

e falarem a babar-se também não é bom prá vida social...

estas merdas, apesar de tudo, fazem-nos pensar melhor.

Rosalina disse...

Bem, Cristina, argumentar a favor da proibição quer dos piercings, quer da da procriação de raças perigosas com o que se faz nos outros países é, quanto a mim, muito pobre.

Não é pelo facto de se ter feito nos outros países que se tem de fazer aqui.

Primeiro, espero que os outros países ao terem tomado essas decisões o tenham feito com base em factos.

Isto é que haja um número suficiente de casos que provem que houve negligencia e que por isso há risco de saúde pública isto no que concerne os piercings e afins.

Quanto aos cães, espero também que antes das medidas de extermínio, todas as outras se tenham provado ser ineficazes.

Não sei precisar o ano, mas a lei sobre os cães mudou recentemente. Nessa altura que definiram-se as raças perigosas e as condições, bastante restritivas até, em que as pessoas os podiam ter.

Fez-se alguma fiscalização? Onde estão os resultados?

Só aceitaria leis deste tipo se houvesse dados indicadores de que tudo o que se tinha feito para evitar situação danosas estava esgotado.

Não me parece que seja o caso.

Mais. Tudo neste governo é incoerente e espantoso.

O indivíduo que colocou em coma uma adolescente nos últimos dias e provocou danos menos gravs noutras duas crianças está em liberdade e pode conduzir?!

Isto não te espanta?!

Isto para não falar em matéria de educação que me é um assunto caro, mas menosprezado neste espaço de opinião.

Fado Alexandrino disse...

Magnifico post.
E porquê?
Porque Cristina é muito directa nestas coisas que envolvem riscos que o comum dos mortais encara displicentemente porque não lhe aparecem depois na mesa de trabalho.
Uma visão de mãe e médica.
Aprovo inteiramente.

Cristina disse...

Rosalina

o que te posso dizer é que a mim não faz confusão de espécie nenhuma.

qualquer medico, quando faz uma historia clinica a um doente com uma doença infecciosa, pergunta, porque é mandatorio, se colocou piercins ou fez tatuagens.
mais, vejo varias complicações do uso dos piercings. portanto, para mim, devia ser proibido a menores sem autorização dos pais e mesmo assim, achpo esses pais irresponsaveis, se queres a minha opinião.

se os outros paises legislam sobre o assunto, qual é o drama?? os portugueses são mais responsaveis que os outros?? não percebo a histeria. mais uma vez, muito sinceramente. acho que ja devia ser proibido ha muito!

olha, tal e qual como os capacetes pras motas. porque raio as pessoas hão-de ser obrigadas a usar capacete se quiserem correr o risco? ou simplesmente se acharem que é feio andar de capacete? cada um, é livre de andar como quer...será?

Cristina disse...

Fado

este é dos assuntos em que, de facto, a profissão me dá uma visão muito diferente. e nestas coisas estou-me marimbando para a liberdade quando se trata da minha filha, por exemplo..
não me parece que ela fique traumatizada com isso....lol

Catarina campos disse...

Cristina, assino por baixo. Essa coisa dos miúdos poderem fazer tudo e mais alguma coisa e furar o corpo porque é moda, sinceramente, comigo não cola. e, como dizes, o exemplo dos capacetes (ou dos cintos de segurança incluindo para os adultos) das motos, é muito eloquente.

Rosalina disse...

Cristina, lamento informar-te, mas a tua resposta ao meu comentário está errada.

Não respondes a nenhuma das questões que eu coloco.

E o exemplo dos capacetes vem dar-me razão.

A necessidade de obrigar ao uso do capacete e já agora, acrescento eu, do cinto nos carros, deveu-se ao facto de ter havido dados, (os números de que tanto o Sócrates gosta e tu também, porque os usas sempre que te convém na tua argumentação), que exigissem a sua obrigatoriedade.

___________

Bem, Fado, não fora o seu comentário vir logo a seguir ao meu e eu nem daria por ele...
Desculpe, mas interpretei como se se estivesse a dirigir a mim nesta sua expressão: o comum dos mortais encara displicentemente.

Mas como diz o adágio, "quem não se sente, não é filho de boa gente", e eu, obviamente, senti-me.

Sou mortal e, graças a Deus, comum. Displicente, não. Não sou médica, nem mãe. Sou uma pessoa.

É claro que as suas palavras e as de qualquer outra pessoa escritas num blog em forma de comentário valem o que valem. No entanto, não creio que seja bonito tecer juízos de valor menos agradáveis sobre outros só porque eles não concordem connosco. Afinal, o Fado não me conhece.

E já agora o seu Aprovo inteiramente vale tanto como o meu: Desaprovo totalmente!

Rosalina disse...

Já agora Cristina, gostei do toque primaveril e discreto...

Cristina disse...

Rosalina

este é um dos assuntos em que nenhum dos teus argumentos me toca ou convence e o contrario provavelmente também é verdadeiro, portanto não vale a pena desgastarmo-nos, certo?


quanto aos dados, respondi sim.
qualquer medico, quando faz uma historia clinica a um doente com uma doença infecciosa, pergunta, porque é mandatorio, se colocou piercins ou fez tatuagens.

ora se é mandatorio, e é, é porque é causa de doença. esta provado e descrito em qualquer manual. ja para não falar das outras consequencias...

quanto aos juizos de valor fazemo-los sempre avaliamos as opiniões dos outros. quer queiramos ou não, ele está lá nem que seja por comparação. não tenho pretensões nem qualquer problema com isso. ja tive mas libertei-me, graças a deus...se existir:)

ps-obrigada, pensei que ninguem reparava..

Cristina disse...

ahh

esse ataque ao fado é por causa do "riscos que o comum dos mortais encara displicentemente " ???

olha....eu acho o mesmo..

Rosalina disse...

Cara Cristina, eu não ataco o Fado, logo não vejo razão para a sua defesa. Aliás, como explico no meu comentário, li o comentário do Fado porque estava logo depois do meu. E assumi as suas palavras como se dirigindo a mim, porque de facto, ao escrever "riscos que o comum dos mortais encara displicentemente " está a fazer um juízo de valor negativo sobre todos aqueles que não concordem com a proposta do ps.

quanto aos dados, respondi sim.
qualquer medico, quando faz uma historia clinica a um doente com uma doença infecciosa, pergunta, porque é mandatorio, se colocou piercins ou fez tatuagens.
- Mas é óbvio, Cristina, que eu não falo dos dados que tu, a médica, tem. Eu refiro-me aos dados que são estudados por quem de direito que fundamentam a criação das leis.
E julgo que esses têm de ser em número suficiente para exigir leis proibitivas. É desses dados que falava.


este é um dos assuntos em que nenhum dos teus argumentos me toca ou convence e o contrario provavelmente também é verdadeiro, portanto não vale a pena desgastarmo-nos, certo?

Não vale a pena?

Não é este um espaço de discussão?

Para mim não é desgaste. Gosto de discutir.

Gostei particularmente da utilização do provavelmente em relação aos teus argumentos. Deduzo, então, que os teus argumentos serão mais válidos e convincentes que os meus. Já agora, porquê?


ehehehhehe...

Fado Alexandrino disse...

Rosalina disse...

Muito obrigado.
Só em casos extremamente raros e que se justifiquem, respondo a intervenções fora da dona do blog.
Neste caso não se justifica responder-lhe.

Rosalina disse...

Exacto, Fado, aliás estas suas palavras justificam em tudo um comentário seu neste blog em Agosto de 2007:

Aproveito para dizer que me surpreendeu a postura de superioridade intelectual e moral da Cristina e o tom agressivo com que, pelo menos no meu caso, respondeu à minha observação.

E por isso, paro por aqui.


Pois, a mim não me surpreende a sua postura, nem a da dona do blog.

dalloway disse...

Pelos vistos a censura não é apanágio só deste governo!

Fiquei sem vontade de comentar...

Cristina disse...

rosalina

que agressividade caramba! os meus argumentos não são mais importantes, são meus, e só te estou a dizer que não são alteráveis. e como ves eu tinha razão, a discussão cada vez menos produtiva. e quantos mais comentarios houver mais fora do tema e mais inutil se torna.

Cristina disse...

catarina

pá, ja me escapava o teu comento..

comigo não cola mesmo, naquilo que eu puder, o risco ha-de ser o menor possivel, que até prova em contrario eu ainda estou mais habilitada que a filha a decidir. quando isso mudar, faça o que entender...

Anónimo disse...

para quem não saiba, um espaço de discussão é um fórum e não um blog.
Cristina, o seu texto faz todo o sentido, tudo tem limites, quem tem consciência sabe disso.
já que fala em saúde pública, sugiro que apresente algo sobre uma prática agora muito em moda: "barebacking".
obrigado pelos temas e informação que deixa neste blog.

Cristina disse...

anónimo
um blog também pode ser, e é muitas vezes, espaço de discussão quando vale a pena. quando se começa a personalizar, deixa de importar O QUE se diz, mas A QUEM se diz.


uma prática muito em moda??? não me diga....

Rosalina disse...

Ninguém está a personalizar, nem há qualquer tipo de agressividade.

Há a minha opinião, há os meus argumentos que contestam os teus.

Provem que estes projectos de lei surgem porque há dados estatísticos que os justifiquem.

Provem que o facto de se fazerem tatuagens, colocar piercings ou aplicar maquilhagem definitiva é um perigo para a saúde pública que pode pôr em risco a saúde dos próprios e dos outros.

Provem isso e eu serei a primeira a aceitar uma lei proibitiva como esta.

É claro, Cristina, que reconheço que a minha opinião não te seja agradável e que queiras que me cale. Afinal, a minha opinião é válida. E um blog é antes de mais um espaço de discussão. Este pelo menos. Tem os comentários abertos.

Margarida V disse...

o que eu gostava de saber é o que é que o estado tem a ver com os furos que faço ou deixo de fazer no meu corpo, tenha eu 16 anos ou seja maior de idade, irrita-me solenemente esta mania de nanny state, que tudo o que fazemos é de acordo om o que o estado quer.

Anónimo disse...

Parabéns!
Comtribuiram para uma causa muito importante. O meu filho falou-me num piercing na lingua e eu fiquei em sentido.

Rosalina, não te cales, eu gostei do que li...

Cristina, pra grandes males grandes remédios. Obrigado.

Tino.