04 janeiro 2008

A Associação de Profissionais para uma Publicidade Responsável, em França, censurou uma campanha institucional contra a propagação do vírus da SIDA entre a população homossexual, porque o cartaz que mostra o casal foi considerado explícito demais. O veto da associação fez com que organizações dedicadas à luta contra a SIDA criticassem a aplicação de critérios diferentes -"Esse tipo de medida não existiria se os protagonistas da propaganda fossem heterossexuais. É uma ofensa à comunidade gay", declarou um porta-voz da associação Act Up Paris.
O grupo exige que a campanha continue a ser divulgada tanto entre os gays como nos meios de comunicação e que o Ministério da Saúde francês condene a censura da Associação de Profissionais para uma Publicidade Responsável.

Até acho que a imagem é muito bonita, que dificilmente chocará alguém e que pode ser mais ou menos explícita, mas sem qualquer agressividade. Gostei.
Entre 2005 e 2006, foi realizado um estudo na Suíça, no Hospital Cantonal de St-Gallen (região norte) em que se questionaram 708 pessoas diagnosticadas como HIV positivas, para se conhecerem melhor as circunstâncias em que o virus é transmitido.
Os resultados foram surpreendentes e temerários: quatro em cada cinco pessoas sabiam que tinham sido infectadas e quase a metade sabiam inclusive quando. A maioria das pessoas contaminadas recentemente sabia que parceiro era portador do vírus mas, mesmo assim, 20% decidiram ter relações sem preservativo. Disse Rober Staub, autor do estudo, "Vivemos numa sociedade em que se alguém se quiser matar, pode. Ainda há gente que não dá a mínima importância ao HIV, mesmo sabendo que dois homens que se encontrem uma noite têm, cada um, 10% de chance que o novo parceiro já esteja infectado". Na Suíça. Imaginem cá..
.


Imagens também muito bonitas feitas com a colaboração dos respectivos desportistas e surgidas na sequência desse estudo, sob o lema "no action without protection"

6 comentários:

dalloway disse...

Como hoje estou mais 'desbocada' do que é costume, volto mais tarde para comentar.

DUCA disse...

Como tu, acho a imagem muito bonita, assim como as que colocaste dos desportistas.

Quanto aos eternos guardiões da moral e dos bons costumes, como ninguém os cala, apenas posso dizer que só é pena que ainda exista gente para quem a sua (deles) opinião é credível. Fazedores de opinião destes só prejudicam. Cambada!

Aqui há uns tempos, lembras-te do post sobre o cartaz do rapazinho do festival de cinema gay & lésbico em Espanha e do cartaz em Itália do bebé gay? Lembras-te de te ter dito que a questão da não concordância da generalidade das pessoas não se relacionava com a utilização de crianças e sim com a questão da homossexualidade? Aí tens a prova! Uma simples imagem de dois homens despidos abraçados em jeito de estarem a fazer amor, é considerado demasiado explícito, apesar de não serem visíveis os orgãos sexuais de nenhum dos protagonistas.

De facto, há cabecinhas muito duras!

Beijo

Álex disse...

concordo em que a foto não é chocante é até bem bonita! e fico pasma com os dados desse estudo, que descontração... porquê, pergunto-me, essa actitude?

Rosa disse...

Estou contigo, também acho a imagem bonita e nada chocante.
Bom ano, miúda!

Cristina disse...

dalloway

aqui é livre de dizer o que quiser :)) vá lá...

Cristina disse...

Duca

lembro-me perfeitamente do post e lembro-me de ter discordado dele exactamente pela criança num anuncio de um festival de conteúdo sexual e não pela homossexualidade em si, como é óbvio. com adultos encaro qualquer coisa, agora as crianças, deixem-nas viver a sua sexualidade sem misturas..:)

já o post do recem nascido acho interessante pela ideia: nascer de determinada forma, com determinadas caraterísticas que nos acompanharão pela vida. é diferente..

em relação a estas imagens, são de facto esteticamente muito bonitas :)