08 dezembro 2007

sobre a cimeira da controvérsia,


concordo completamente com Fernando Madrinha (Expresso):
.
Por mais que se atormentem as almas sensíveis, os ditadores existem e não deixarão de existir se a Europa decidir não falar com eles, como pretende o senhor Gordon Brown. Aliás, já toda a gente compreendeu que o boicote à cimeira de Lisboa ensaiado pelo primeiro-ministro britânico não foi decidido por razões de princípio contra a tirania, mas por razões de queixa muito particulares que Londres tem de um determinado tirano. Ao promover Robert Mugabe a vedeta da cimeira de Lisboa, Gordon Brown prestou um mau serviço à Europa. E ao abster-se de um contributo que, pela importância do Reino Unido, teria sido precioso para dar força política à declaração de Lisboa, prestou um mau serviço aos africanos, revelando menos interesse no seu destino. (...)
Se até agora tem sido tão difícil juntar europeus e africanos a uma mesa de conversações, então temos de reconhecer duas coisas. A primeira é que seria completamente absurdo pedir a lua desta reunião, tentando impor uma agenda que a inviabilizasse à partida, ou fixar-se em temas que, por serem de resolução mais do que improvável, garantissem o seu fracasso à partida. A segunda é que o simples facto de ter sido possível realizá-la já constitui um passo positivo - e mérito da presidência portuguesa - por mais viciados que estejamos na lógicas da autoflagelação e do bota-abaixo. Afinal, há 30 anos que África, em especial a lusófona, está na boca de toda a gente em Portugal como vector essencial da nossa política externa. A aposta da presidência portuguesa, falhada numa presidência anterior, não podia ser mais coerente com essa opinião comum.
Recusar o diálogo com África só porque em África há muitos ditadores é condenar duas vezes os africanos: à tirania dos seus dirigentes e ao nosso desprezo bem-pensante. Como diz o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, se os países europeus recusarem encontrar-se com dirigentes que violem os direitos humanos não haverá muitas reuniões fora da Europa.
.
Precisamente. O isolamento serve-lhes, aos ditadores, às mil maravilhas. E a alguns corações europeus impressionáveis, também. Mas não serve, seguramente, os povos africanos.

16 comentários:

Icreate disse...

Depois de algum tempo de "abstinencia" ca estou eu outra vez!!! lol


A cimeira?! tanto politico junto... será que alguem não toma uma atitude para ver se nos livramos deles duma vez?! ou estaram à espera de se juntem mais alguns (Bush, Brown...).

Jocas

Anónimo disse...

estamos todos mais descansados com a sua concordância

LNT disse...

Pois eu, cara vizinha, concordo só com parte.

Concordo na parte em que Madrinha se refere ao comportamento cínico e hipócrita da diplomacia inglesa, o que aliás a caracteriza desde sempre.

Para os ingleses não existe mais nada do que os seus próprios interesses.

Quanto ao resto da real politik, das conversas com tiranos, ditadores, terroristas, exterminadores e gente dos genocídios, estou em total desacordo.

Estas práticas e raciocínios já foram ensaiados anteriormente, até na Europa, por exemplo com Hitler, e o resultado é conhecido. Há gente que não convidamos para casa e muito menos para a nossa mesa. Conspurcam-nos totalmente.

É impossível apertar a mão a um alarve terrorista que manda abater aviões civis, ou a outro que deixa morrer à fome milhares de seres humanos há mais de quatro anos.

Claro que esta é a minha maneira de ver as coisas, e claro que o Mundo não é aquilo que queremos. Mas esta cimeira só poderia ter lá algumas das pessoas que foram aceites para lhes mostrar “cara feia” e nunca para os receber como gente de bem.

Um abraço, Cristina, e desculpe este abusivo testamento na sua caixa de comentários.

Cristina disse...

icreate

olá, bem vindo!:))

não podemos acabar com eles, são demasiados..:)

Cristina disse...

anonimo

é não é? pronto, agora que ja matou saudadinhas pode ir tá? amanhã faz mais visitinhas.

Cristina disse...

LNT

abuse à vontade. neste caso não concordo consigo. a pior coisa que se pode fazer a um facinora é virar-lhe as costas. estamos a dar-lhe legitimidade para fazer o que entender. à-vontade, sem olhares internacionais.


de facto, não é o que a europa faz com os EU? é a filosofia de que não podemos contrariar os malucos mas também não podemos deixá-los completamente à solta...

beijos

Repórter disse...

Ditadores, ditadores, ditadores.
África, África, África.
Onde se escondem os outros ditadores?
Terão comprado o silêncio?
Que interesses levam a que não se fale (tanto) deles?

Presidência portuguesa? Qual o mal, a não ser o dispêndio de milhares que saem dos nossos bolsos?

Pézinhos n' Areia disse...

hoje no dia em que a Cidade de Lisboa, deve ser a cidade com a taxa de ditadores/por metro quadrado, mais elevada do mundo, dizem "por aí" ... que no Ritz, um dos hoteis de Lisboa, onde se hospedam alguns desses ditadores e "acompanhantes", se esgotaram as jóias da loja representante da Cartier. what a shame !!!!!!
Um pouco mais de pudor, não lhes ficaria mal ... né ?

Li algures esta análise, Cristina:

A montagem sobre os problemas de África - a Cimeira UE-África - é um "bluff" !

1 - Estes líderes a quem chamam de figuras sinistras da humanidade, foram todos eles sem qualquer excepção, formados pelos serviços de inteligência das potências (CIA, KGB, MI5, entre outros) para manterem os seus interesses salvaguardados, sem olharem a qualquer valor de indole moral ou ético nem à natureza dos meios empregues.

2 - Estes líderes ficam infinitamente no poder porque os seus concorrentes são aniquilados pelos tais serviços de inteligência.

3 - Muitas vezes são estimuladas lutas internas dentro destes países para as povoações fugirem ou morrerem e assim deixarem livres os terrenos para futuras explorações de petroleo ou gás, como o Darfur e Sudão.
E como foi o caso de Timor.

4 - O exemplo da Libéria, o primeiro pais independente em África, onde as populações foraram chacinadas entre si nos ultimos anos e o presidente Charles Taylor para opter armas deu toda a madeira do país aos holandeses com quem negociava também diamantes!

5 - As fronteiras da maioria dos países em África são linhas traçadas em reuniões de interesses onde o "preto" era considerado insignificante.

6 - Sem os serviços secretos dos americanos, russos, ingleses, franceses e outros a conspirarem, seria possivel alguma vez estes líderes estarem no poder? Nunca!

7 - Aquando da descoberta dos portugueses, em África, não existia qualquer conflito.
Foram os Europeus que lhes ensinaram esta forma de enriquecer: Oferecemos armas a dois grupos rivais e falamos mal uns dos outros até começarem a guerra entre eles!
Depois de eles se anularem, será facil meter aquele que queremos no poder e em troca ficamos com as riquezas naturais e seus direitos de exploração!

Aqui fica !


Ah !!! E fica tb "a tenda" de Mugabe, em Harare, um simples T1 mais 56 assoalhadas:

http://www.chillnite.com/wtf-gallery-of-zimbabwes-robert-mugabe

Para o caso da Amiga Cristina, pensar visitar o Zimbabwe...:-)))

Mas enquanto não tiver tempo para ir ao Zimbabwe, passe pelo menos no meu blog.

Beijo grande para si e para a BEA !

e-ko disse...

é assim mesmo, pézinhos na areia, esta cimeira é só um encontro de mercadores... tudo se compra e se vende até as boas consciências!

Cristina disse...

reporter

falas de que outros ditadores?

Cristina disse...

Sofia

calma, também não podemos sistematicamente culpar-nos pelos males de áfrica, ja basta o que eles se aproveitam de la termos estado...ainda ontem tive uma discussão com uma colega de s tomé, e, claro, todos os dramas das excolonias são culpas dos portugueses. ja não ha cu pra tanta desculpa. em vez de se matarem uns aos outros, matem os presidentes que têm! ninguém os manda serem parvos.

mas adiante, não tenho nada contra a cimeira antes pelo contrario. acho mesmo que deixar de dialogar com os ditadores é mesmo borrifar-nos para o que acontece a esses povos...é deixá-los fora do olhar internacional, o que para os "facinoras" é bastante confortavel.

além disso, é um bocado ridiculo que hajam relações comerciais e depois "não nos sentamos à mesma mesa" porque não sei quê, a nossa moral não nos permite...ahhhh!, sabe, sou pouco dada a esse tipo de fachadas..

beijocas

Cristina disse...

e-ko

é isso, é mesmo.

então, vamos assumir isso e tentar negociar alguma coisa de útil. :)

Repórter disse...

De tantos outros que por aí andam, vestindo pele de cordeiro e auto denominando-se democratas.

Cristina, esses não estão contabilizados.
Ou estão?

Beijoca de domingo.

Pézinhos n' Areia disse...

Cara Cristina, como sabe, existem muitos interesses económicos, nomeadamente, multinacionais a operar em áfrica.
A que países pertencem essas multinacionais ?

Penso que há imensa hipocrisia POLÍTICA nisto tudo.

O vil metal, manobra tudo e todos.

Angola é um exemplo.

A pobreza dos africanos é a sua maior riqueza.
Para outros....

sad, very sad ....

Cristina disse...

Sofia

claro ha há "muitos interesses económicos, nomeadamente, multinacionais a operar em áfrica." mas também há sempre nacionais a lucrar com isso, não é só a europa. é óbvio que há hipocrisia, é óbvio que o dinheiro manobra tudo, mas não é só lá, é lá e cá. não tenho ilusões de que nós sejamos muito melhores, estamos é mais limitados por leis e regras de conduta, se não, éramos tão selvagens como. já fomos.
Sofia, no fundo, o que quero dizer é o que afirmei acima, nunca virar as costas aos "loucos". aliás, como a Europa bem sabe em relação aos Estados Unidos. a única diferença é que os EU são a nação mais bem armada do mundo e, por enquanto, ainda vêm a Europa como a casa da avó: não seguem muito os conselhos mas não deixam de ouvir.
era bom que se conseguisse isso com os ditadores africanos.

não sei se me expliquei bem.

beijinhos

Pézinhos n' Areia disse...

explicou sim senhora !!!:-)))
Estamos de acordo !

Sei que me percebeu e eu tb a percebi.

Nunca cortar diálogo, mesmo com ditadores ! Never !!!

Mas Cristina, como diz e muito bem estamos, portugueses e europeus que somos, mais limitados por leis e por regras. E porquê ?

Porque somos mais democráticos, MAS numa democracia mais exercida.

Com mecanismos de controlo e fiscalização que tendem a afinar-se cada vez mais. Pelo menos esperamos que assim seja, né ?

Um país será tanto mais democrático, quanto menor fôr a corrupção.

África já tem democracias, embora recentes ... MAS ainda muito pouco democráticas.
A corrupção prolifera. Dela comem nacionais e estrangeiros.

Mas pra quê que eu tou práqui a dizer isto tudo ???

Sei que estamos de acordo ....:-))))

Ora bolas !

Beijocas krida !