25 dezembro 2007

pró que me havia de dar...



depois da ceia, e do barulho, sentar-me aqui calmamente a ver as notícias que não consegui ver durante o dia. Salta-me à vista um Conto de Natal que começa assim: Um dia olhei à volta e vi o mundo como nunca vira. A realidade é uma floresta. Eu parecia estar em cima de uma árvore, no meio de muitos ramos grossos e frondosos, folhas, rebentos e frutos. Toda a minha actividade desenrola-se por entre esta folhagem. O meu trabalho e azáfama, os meus desejos e frustrações, todas as minhas viagens, correrias, tarefas e divertimentos têm lugar nas copas de um denso bosque. Vi as ruas e casas, salas e corredores formados do material vegetal da selva. Reencontrei todos os meus colegas e conhecidos, amigos e familiares, cada um na sua labuta, todos fazendo tudo equilibrados nos troncos, ramos, folhas e caules daquele espesso arvoredo....[continua no DN]
.
Que outros títulos poderiamos atribuir ao conto?
-aconteceu no Turcomenistão...
-memórias de um gajo que fumava umas cenas maradas
-Dizem que Beethoven ficou surdo porque escrevia música muito alta...:)

8 comentários:

dalloway disse...

O que me preocupa neste momento é achar que a Cristina não está bem da tola para às 3.35 estar a transcrever parte de um conto do Das Neves...e mais apreensiva fico quando me dou conta que eu própria li a po*** do texto todo no dia de Natal

A sério que não bebi para além da conta....não fumei umas cenas maradas mas vejo-me a ler este gajo a esta hora da manhã e a pensar que titulo poderia dar ao dito cujo.
Eu não devo estar bem...e a Cristina veja lá se se cura.

Ah...o titulo:

Se chovesse ao contrário era muito mais difícil escapar à chuva

Pézinhos n' Areia disse...

Querida Cristina

A manhã começa a despontar em tons rosa e laranja. Fria, mas bonita.

É Natal !

Um beijo para Si e para a Bea.

Animal disse...

títalo alternatyvo: "O ácido tem muita estriquinina"

amigona avó e a neta princesa disse...

Eh! Eh! Boas festas Cristina...

Cristina disse...

Dalloway

oia,oia!! diz o roto ao nu, porque não te vestes tu?

pois eu bebi umas belas coisinhas sim senhora. :)))

Cristina disse...

animal
epá!! esse é muita bom! agora por isso, sabes uma coisa?? a primeira coisa que vi quando entrei na A8 para ir para Óbidos foi um placar luminoso que dizia:

animal na estrada, seja prodente.

epá juro! ca pena não ter tido tempo para tirar uma fotografia! não sabia que andavas por aqueles lados :)))))

Animal disse...

carago, o cabrão do big bráda num deixa um gajo dar uma escapadinha sossegado...

Cristina disse...

hehe

tamem não sei porque é que escrevi placar sem d e prodente sem u, olha que se lixe, acho que faz parte do charme... :p