23 novembro 2007

As salas de cinema de Taiwan converteram-se num itinerário turístico para os chineses endinheirados e amantes da 7ª arte que preferiram cruzar a fronteira de Hong Kong e chegam à ilha para apreciarem a versão não censurada de Lust Caution do realizador Ang Lee. Trata-se de uma história passada em Xangai dos anos 40, durante a ocupação japonesa, que serve de cenário a um drama temperado com espionagem, romance e apimentadas doses de sexo com cenas longas, acrobáticas, às vezes violentas .
O filme foi premiado com o Leão de Ouro no festival de Veneza de 2007, foi censurado na China (cortaram todas as cenas de sexo - o filme tem 7 minutos menos) mas, mesmo assim, foi um sucesso estrondoso de bilheteira para o país da pirataria onde pouquíssimos vão ao cinema (o DVD pirateado é vendido por 2 dólares). Agora, o filme, está a ser utilizado pela operadoras turísticas de Taiwan como propaganda.
Recorde-se que, O Governo de Taiwan foi obrigado a retirar "Lust, Caution", como seu candidato ao Oscar de melhor filme estrangeiro, devido à pequena participação de autores taiuaneses. Na altura, Taipé expressou a sua decepção com a decisão da Academia de Hollywood de rejeitar "Lust Caution".
Entretanto, alguns médicos chineses desaconselharam os espectadores a experimentar as posições sexuais acrobáticas mostradas na versão não censurada do filme.
A advertência dos médicos foi divulgada no portal da agência de notícias oficial chinesa Xinhua, que cita as palavras de um médico: "Somente as mulheres com corpos particularmente flexíveis e com experiência de ginástica e Yoga são capazes de imitar algumas posições. Para a média das pessoas pode ser perigoso". :/

6 comentários:

Alien8 disse...

Cristina,

Vi e revi o vídeo, não me tivesse escapado alguma coisa, à procura das tais posições acrobáticas, mas só dei com um salto à peixe para dentro de um carro e pareceu-me que o gajo ou saltava ou estava f..... será isso???

Isto fez-me lembrar um certo crítico de televisão, que em tempos, a propósito de uma música portuguesa que concorreu ao Festival da Canção, ou mesmo da Eurovisão, e às tantas rezava que:

"Esta é a música portuguesa,
É o amor sobre a mesa
Que nós temos p'ra dar...",

perguntava se essa do amor sobre a mesa seria uma habilidade circense própria cá dos portuguesitos, para inglês ver... mas enfim, estou divagando.

Vai uma viagenzita ao Brasil? :P

Um bom fim de semana e

Beijinhos.

Cristina disse...

alien
loooool
pois, aí não. sabes que o primeiro trailer foi censurado nos EUA?

bem que ía..

beijos bom fds

dalloway disse...

Estou doidinha para ver este filme porque me apetece muito (re)ver Ang Lee na sua versão menos comercial e porque gosto de filmes japoneses, chineses, tailandeses...
Ainda hoje vi "embriagado de mulheres e de pintura" e "ligações proibidas". Temas completamente diferentes mas igualmente refrescantes....e muitos outros estão na estante para serem vistos... lálálálálá...

E eu num tenho xono :)

Pêndulo disse...

(cortaram todas as cenas de sexo - o filme tem 7 minutos menos)

"todas as cenas" implica plural, mais do que uma. Retiraram sete minutos e com isso extraíram todas as cenas que, pelo teu post, parecem ser muitas.
Conclusão:
Os chineses podem ser acrobáticos mas rápidos são de certeza.
Em sete minutos são umas quantas...

:p

Cristina disse...

dalloway
lool

querida, acho que o mais oriental que vi foi o Karate Kid, com o Mr Miyagi :)))

que já morreu, tadinho..

Cristina disse...

P

pá, os chineses são como os coelhos..

mas mesmo assim, sete minutos, podem ser muitas cenas sim. são planos de segundos que se cortam e que podem desconfigurar um bocado o filme